O Twitter se consagrou há muitos anos como o principal microblog da internet, o que o transformou em um lugar bastante popular para publicar não apenas os acontecimentos cotidianos dos usuários, mas para veicular notícias e debater política. Embora a rede social tenha seus pontos positivos, não é difícil pensar como esta comunidade também afeta negativamente os internautas e contribui para a disseminação de fake news, por exemplo. Por isso, separamos uma lista com cinco motivos para você não usar o Twitter.

Importante: essa matéria foi escrita com base nas políticas do Twitter aplicadas até junho de 2023. Logo, essa lista não é necessariamente compatível com o que o Twitter já foi no passado ou com o que pode se tornar no futuro.

Leia mais:

1. Alto potencial de fake news

Imagem: Mashka – Shutterstock

Em virtude da popularidade da rede social e da facilidade de publicação, muitas pessoas com más intenções se aproveitam da plataforma para compartilhar desinformação nos tweets. Essa prática mira quase sempre os campos políticos, a fim de atacar determinados candidatos e espalhar dados mentirosos que difamam a imagem da vítima.

publicidade

Contudo, este potencial de fake news não está ligado apenas a isso: uma grande leva de negacionistas lotaram a rede social nos últimos tempos para desmotivar as pessoas a acreditarem em dados científicos, os quais comprovavam que tomar uma vacina contra uma doença poderia diminuir os sintomas e facilitar a recuperação do infectado –– que, em casos mais graves, ainda pode evitar o óbito.

Nem todos os internautas costumam verificar se as informações que consomem online são verídicas, como aquelas publicadas por grandes jornais. Desta forma, se torna mais fácil convencer determinado público a acreditar em informações falsas e incentivar o compartilhamento de informações inverídicas.

2. Cultura à violência

Se você usa a internet há muito tempo, então já deve ter se deparado com o tema “cultura do cancelamento”. Isso nada mais é do que boicotar (cancelar) uma pessoa, grupo, ou empresa por algo ruim –– e às vezes criminoso –– que ela tenha feito. De fato, é importante evidenciar coisas ruins que acontecem no mundo e tomar as devidas providências para lidar com este evento. No entanto, perseguir alguém nas redes sociais, fazer ameaças, proporcionar desrespeito e incitar ódio não resolve problema algum; apenas gera mais violência.

Essa cultura do Twitter não está associada apenas a pessoas “canceladas”, mas àquelas que são vítimas de boatos, que tiveram sua intimidade exposta sem consentimento, ou alvos de cyberbullying. No fim, os acontecimentos são os mesmos: um leva de pessoas se junta para atacar alguém via texto e foto, produzem mídias (vídeos, GIFs, montagens) desrespeitosas para debochar da imagem alheia, criam hashtags e conseguem até banir a vítima da rede social. A propagação do ódio, como se já não fosse terrível o bastante, ainda deve afetar o psicológico do alvo, que pode desenvolver determinados transtornos psicológicos.

Independentemente do contexto abordado, a maioria dos usuários apoia a prática de perseguir outras pessoas online e transformar completamente as suas vidas em um pesadelo. Por isso, o Twitter acaba não sendo um dos melhores lugares da internet.

3. Facilidade de exposição sexual

Homem e mulher com as pernas entrelaçadas no chão
Imagem: VGstockstudio/Shutterstock

Com a popularização da internet, a cultura da web sofreu diversas mudanças ao longo dos anos e o comportamento dos jovens e adultos que utilizavam o Twitter também foi remodelado. Há alguns anos, apareceu a palavra “nude” para designar uma imagem que mostra a intimidade sexual de uma pessoa. Embora isto fosse mais atrelado ao vazamento de mídias dos famosos, algumas pessoas anônimas desenvolveram o hábito de publicar algumas fotos de si na rede social.

Em seguida, vem a popularização dos sites de conteúdo adulto que o próprio usuário pode alimentar e ganhar dinheiro com isso, como é o caso do famoso OnlyFans. Assim, o Twitter se tornou um dos principais lugares para divulgar prévias de conteúdo a que os “fãs” encontrariam no site adulto. Esta prática se tornou muito comum e hoje é possível encontrar dezenas de fotos, vídeos, e GIFs de pessoas em contextos sexuais.

Isso se tornou ainda mais forte quando o Twitter começou a sugerir contas e tweets, baseadas no tipo de conteúdo que você mais consome. Então, de uma rede própria para compartilhar o seu dia a dia ou para falar com amigos virtuais, o lugar também se tornou mais prático para a divulgação de conteúdo sobre sexo.

4. Excesso de anúncios

Não apenas surgiu a funcionalidade de sugerir contas e tweets para o usuário, mas a quantidade de publicidade também aumentou muito. Ainda que os anúncios estejam presentes em qualquer rede social –– com exceção dos usuários que tem AdBlock ––, o Twitter começou a expor muito mais anúncios do que antes, misturando-os no feed como se fosse a postagem de alguém que você segue. Este excesso pode ser incômodo para a maioria das pessoas e prejudicar a experiência do público.

5. Limite de leitura

twitter elon musk limite de tweets
Reprodução: Wagner Edwards/Olhar Digital

Desde a criação do Twitter, a rede social seguiu de forma totalmente gratuita. Mas após a adesão de Elon Musk, a empresa estipulou diferentes mudanças, capazes de impactar a experiência dos usuários –– e talvez a maior delas seja o limite de leitura. Antes era possível consumir quantos tweets quisesse, hoje só é possível ler até 800 tweets a cada 24 horas. Caso contrário, será necessário pagar algumas taxas para mudar esta realidade.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!