O pior da crise global de chips de memória já passou, mas, ainda assim, a Samsung vai manter o corte na produção que já vem durando algum tempo. Segundo a coreana, isso ocorre pelo fato de que a recuperação do mercado se concentrou nos componentes de ponta usados para inteligência artificial.

A queda global na demanda por chips de memória é vista como consequência da alta causada pela pandemia do coronavírus — depois de um tempo, a busca pelos componentes esfriou, colocando em cheque as previsões das empresas e motivando cortes na produção.

Leia mais:

“Os cortes na produção pela indústria devem continuar durante o segundo semestre, e a demanda é esperada para se recuperar gradualmente conforme clientes continuem a reduzir seus estoques de chips”, disse a Samsung em um comunicado.

publicidade
samsung
Imagem: Ascannio / Shutterstock.com

A coreana é a maior produtora global de chips de memória usados em dispositivos diversos, incluindo smartphones e computadores.

Não há previsão de quanto tempo a Samsung vai manter a produção dos componentes abaixo do esperado. a divisão de chips da coreana registrou prejuízo operacional de US$ 7 bilhões no primeiro semestre do ano devido à crise global dos chips de memória.

Corrida pela inteligência artificial deve aquecer o mercado

O segmento que deve impulsionar o crescimento do mercado de chips é o de componentes de alto desempenho voltado para aplicações com inteligência artificial.

Apesar da Samsung ter sido uma das pioneiras na área, empresas como a SK Hynix — também coreana — deixaram a fabricante para trás e se tornaram parcerias da Nvidia — uma das empresas mais procuradas pelo mercado quando o assunto é IA.

Para a coreana, no entanto, nada está perdido: o mercado deve continuar se recuperando nos próximos meses, e analistas estimam que as coisas estarão muito melhores a partir do ano que vem.

Via Reuters

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!