A inteligência artificial potencializou o engajamento e as receitas provenientes de anúncios, provocando uma disparada de quase 8% no valor das ações da Meta, dona do Facebook. O uso da IA resultou em um aumento de 12% nos lucros com anunciantes no segundo trimestre deste ano, acima dos 3% da Alphabet, dona do Google, por exemplo.

Leia mais

Previsão de crescimento ainda maior para 2023

  • Economistas acreditam que as ações da Meta podem valorizar até 24% no futuro, com um aumento expressivo esperado já para o quarto trimestre de 2023.
  • Por isso, os analistas aumentaram em 19% o preço alvo dos papéis da empresa na bolsa, para US$ 355,50.
  • Atualmente, ela está cotada em cerca de US$ 320 na Nasdaq, bolsa americana que concentra as primeiras ações de tecnologia.

Monetização do reels

  • Os resultados da Meta também foram impulsionados por melhorias na monetização dos reels, vídeos curtos postados na rede social.
  • O CEO da empresa, Mark Zuckerberg, afirmou que a receita anual com os reels chegou a US$ 10 bilhões, cerca de R$ 47 bilhões, contra apenas US$ 3 bilhões, pouco mais de R$ 14 bilhões, no mesmo período de 2022.
  • “Os anunciantes estão ganhando confiança nos recursos aprimorados e alimentados por IA de planejamento e medição de campanhas da Meta, e gastando mais. Sem surpresa, a monetização do reels continua melhorando”, disse o analista da Morningstar, Ali Mogharabi.

Meta: aumento de gastos para 2024

  • O crescimento da receita da Meta aliviou as preocupações do mercado financeiro em relação ao aumento nas despesas da empresa para 2024.
  • Os maiores gastos tem relação justamente com os pesados investimentos no desenvolvimento da IA.
  • “Há um elemento de incerteza no crescimento dos gastos para 2024. Dito isso, também vemos uma série de oportunidades de monetização que podem ser geradas a partir dessas inovações”, disse Mark Mahaney, da Evercore ISI.

Com informações de Reuters

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!