Um novo reator nuclear começou a operar nos EUA nesta segunda-feira (31), marcando a primeira vez em quase sete anos que o país inaugura um gerador de energia nuclear. Esse é um tipo de recurso que não gera as emissões de gases de efeito estufa responsáveis pelas mudanças climáticas.

Foram realizados testes preliminares em março, que comprovaram o funcionamento do reator Westinghouse AP1000, instalado na unidade 3 da Usina Vogtle, que fica perto de Waynesboro, na Geórgia.

De acordo com a Westinghouse Electric Company, responsável pelo sistema junto com a Georgia Power, o reator gera aproximadamente 1.110 megawatts de energia, sendo capaz de abastecer cerca de 500 mil residências e empresas.

Segundo o site CNBC, a última vez que um reator nuclear começou a fornecer energia para a rede elétrica nos EUA foi em outubro de 2016, no Tennessee. Antes disso, não havia um novo gerador do tipo ligado desde a inauguração da planta Watts Bar 1, em maio de 1996.

publicidade

Em um comunicado da Georgia Power, o CEO da companhia de energia, Kim Greene, disse que o reator nuclear da unidade 3 em Vogtle fornecerá eletricidade aos clientes pelos próximos 60 a 80 anos.

A operação comercial da Vogtle Unit 3 marca uma conquista significativa para a indústria de energia nuclear dos EUA e um marco no avanço de soluções globais de energia limpa e confiável

Maria Korsnick, CEO do Instituto de Energia Nuclear

Orçamento estourado e atraso na inauguração do reator nuclear 3 da Vogtle

A construção das unidades 3 e 4 da Usina Vogtle começou em junho de 2009, levando muito mais tempo do que o esperado para ser concluída. Além disso, acabou ficando muito mais cara do que o previsto, conforme detalha um artigo publicado por pesquisadores de energia nuclear da Universidade de Columbia.

As estimativas iniciais de custo para ambos os reatores eram de US$14 bilhões (algo em torno de R$66,7 bilhões, na cotação atual), e esperava-se que eles entrassem em operação em 2016 e 2017, respectivamente. 

No entanto, segundo o estudo de Columbia, os custos já chegaram a US$30 bilhões (R$143 bilhões, aproximadamente) até agora, e a unidade 4 ainda não foi ativada.

O cronograma de construção e os problemas orçamentários da Usina Vogtle têm sido um obstáculo para a indústria nuclear, que está ativamente tentando se reinventar após uma queda de décadas, em razão de um episódio ocorrido em 1979 que ficou conhecido como “acidente de Three Mile Island”.

Mas o interesse pela energia nuclear tem aumentado significativamente nos últimos anos, à medida que o senso de urgência na resposta às mudanças climáticas impulsionou a demanda por energia limpa

De acordo com o Departamento de Energia dos EUA (DOE), em 2022, a energia nuclear contribuiu com 47% da eletricidade livre de carbono e com cerca de 20% da energia total do país desde a década de 1990.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!