Os robôs estão cada vez mais avançados e já podem desempenhar uma série de tarefas. Entre elas, pilotar um avião de forma autônoma. A tecnologia está sendo desenvolvida pelo Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia do Sul (Kaist) e pode ser comercializada em breve.

Leia mais

Vídeo relacionado

Não é um piloto automático

  • Os pesquisadores utilizaram a inteligência artificial aliada à robótica para permitir que o humanoide sentasse em uma cabine real e operasse os vários equipamentos de uma aeronave.
  • Os responsáveis pela tecnologia garante que não se trate de um piloto automático, já que o robô consegue tomar decisões sem a interferência humana e mudar, por exemplo, o rumo do avião.
  • O projeto ainda está em desenvolvimento, mas os resultados são promissores, segundo a Kaist.
Robô pilotando um simulador (Imagem: Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia do Sul)

Robô usa IA e conhece todas as manobras de pilotagem

  • Alimentado pela IA, através do ChatGPT, o robô “conhece” todas as manobras e ações necessárias para cada tipo de situação durante o voo, o que possibilita que ele sempre tome a melhor decisão pensando na segurança e continuidade da viagem.
  • Ele, por exemplo, consegue calcular rotas seguras em tempo real com base no status de voo da aeronave, e ainda tem tempos de resposta de emergência mais rápidos do que os de pilotos humanos.
  • Outra diferença é que o humanoide não se restringe apenas a realização de movimentos repetidos em uma posição fixa.
  • Contando com uma câmera embutida, ele pode analisar o estado da cabine, bem como a situação fora da aeronave.
  • Em caso de turbulências severas, a tecnologia pode controlar com precisão os vários interruptores, alem dos braços e mãos robóticos.

Testes em aviões reais são próximo passo

  • De acordo com os pesquisadores, o piloto robô é capaz de realizar todas as operações, desde a partida da aeronave até o taxiamento, decolagem e pouso.
  • Ele ainda não foi testado em aeronaves reais, mas isso deve acontecer em pouco tempo.
  • “Os robôs pilotos humanoides não exigem a modificação de aeronaves existentes e podem ser aplicados imediatamente em voos automatizados. São, portanto, altamente aplicáveis e práticos. Esperamos que eles sejam aplicados em vários outros veículos, como carros e caminhões militares, uma vez que podem controlar uma ampla gama de equipamentos. Eles serão particularmente úteis em situações em que os recursos militares estão severamente esgotados”, destacou o professor David Hyunchul Shim, chefe da pesquisa. 
  • O projeto foi iniciado em 2022 e a previsão é que robô esteja 100% pronto para pilotar aviões reais até 2026.
  • O objetivo é liberar o uso da tecnologia para fins civis e militares.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!