A onda de calor que se instalou em todas as regiões do Brasil desde o último fim de semana promete alcançar níveis altíssimos de temperatura. Essa onda de calor está prevista para se estender até a primeira semana da primavera, com alguns lugares superando os 40ºC

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de nível laranja, configurando um grau perigoso de severidade. 

Diante dessa situação, confira algumas dicas essenciais para enfrentar a onda de calor no Brasil.

Leia mais:

publicidade

Quem são os mais vulneráveis?

As ondas de calor podem afetar todas as pessoas, mas existem grupos mais vulneráveis que estão em maior risco de sofrerem consequências adversas devido às altas temperaturas, que incluem:

  • Idosos: Os idosos têm uma capacidade reduzida de regular a temperatura corporal e muitas vezes têm condições médicas crônicas que podem ser agravadas pelo calor. 
  • Crianças nos primeiros anos de vida: pois podem ter dificuldade em regular a temperatura corporal, e elas geralmente não reconhecem quando estão superaquecidas. 
  • Pessoas com medicamentos que afetam a termorregulação: Alguns medicamentos podem afetar a capacidade do corpo de regular a temperatura, tornando aqueles que os usam mais vulneráveis ao calor.
  • Condições médicas preexistentes: Indivíduos com doenças crônicas, como doenças cardíacas, respiratórias, diabetes ou obesidade, estão em maior risco de complicações de saúde durante as ondas de calor.
  • Indivíduos com transtornos mentais ou sofrimento psíquico: Pessoas com problemas mentais podem ser mais vulneráveis ao calor extremo devido a medicamentos, isolamento social e estresse adicional.

Se houver idosos ou pessoas vulneráveis em casa, certifique-se de que eles tenham acesso a áreas com ar condicionado ou ventiladores.

Como enfrentar a onda de calor

  • Mantenha-se hidratado. Beba muita água ao longo do dia, mesmo sem ter sede. Sucos de frutas naturais sem adição de açúcar também são opções interessantes para se manter hidratado. Evite bebidas alcoólicas, com cafeína e elevado teor de açúcar, pois elas podem aumentar a desidratação. 
  • Opte por refeições de baixo teor calórico, com menos temperos e realize-as em intervalos mais curtos ao longo do dia.
  • Use roupas leves e frescas. Opte por roupas de tecidos naturais, como algodão e linho, que permitem a ventilação e reduzem a sensação de calor. 
  • Aplique protetor solar de amplo espectro com FPS adequado para proteger a pele dos raios UV prejudiciais.
  • Evite exposição direta ao sol, especialmente durante o pico de calor, que geralmente ocorre entre as 10h e às 16h.
  • Procure evitar atividades físicas intensas ao ar livre durante as horas mais quentes do dia.
  • Se possível, fique ou passe mais tempo em ambientes climatizados. 
  • Se você não tiver acesso ao ar condicionado, use ventiladores para melhorar a circulação de ar, se possível. 
  • Em sua casa, mantenha as cortinas ou persianas fechadas durante as horas mais quentes do dia para bloquear a entrada de luz solar direta e calor excessivo. Procure facilitar a circulação do ar. Durante as horas mais frescas do dia e à noite, abra as janelas para permitir a circulação de ar.
Área do aviso de onda de calor válido entre os dias 18 e 22/09 / Crédito: Inmet

Como enfrentar onda de calor


O que significa uma onda de calor?

Uma onda de calor é um período anormalmente quente e prolongado em relação às condições climáticas típicas de uma determinada região. Isso geralmente envolve temperaturas muito acima da média por um período estendido.

O que pode provocar uma onda de calor?

Uma onda de calor pode ser provocada pela combinação de fatores, incluindo a presença de uma forte massa de ar quente e seca sobre a área, muitas vezes relacionada a sistemas de alta pressão atmosférica que inibem a formação de nuvens e reduzem a circulação de ventos. Isso resulta em condições meteorológicas quentes e secas que contribuem para a persistência do calor durante um período prolongado. Outros fatores como padrões climáticos, influência de fenômenos climáticos como El Niño e mudanças climáticas globais podem contribuir para uma onda de calor.

Como o corpo responde à onda de calor

Quando o corpo humano é exposto a temperaturas extremas durante uma onda de calor, ele responde com uma série de adaptações para tentar manter a temperatura interna estável. Isso inclui: 

  • Vasodilatação: Quando o corpo é exposto a temperaturas extremas, ele tenta se resfriar através da vasodilatação, que é a dilatação dos vasos sanguíneos superficiais. Isso ajuda a liberar calor do corpo para o ambiente, mas também pode causar a queda da pressão arterial, tonturas e sensação de fraqueza
  • Aumento da frequência cardíaca: O coração trabalha mais para fornecer sangue para a pele e os músculos, ajudando no processo de resfriamento. Isso pode levar ao aumento da frequência cardíaca.
  • Sudorese (suor): O corpo produz suor como um mecanismo de resfriamento. O suor evapora da pele, o que ajuda a dissipar o calor e a reduzir a temperatura corporal. No entanto, a sudorese excessiva pode levar à desidratação.
onda-de-calor-coletiva
Imagem: Termômetro indica alta temperatura. Crédito: lamyai

Problemas de saúde relacionados à onda de calor

No entanto, esses mecanismos de resposta do corpo à onda de calor podem levar a problemas de saúde, incluindo:

  • Desidratação: A desidratação ocorre quando o corpo perde mais líquidos do que recebe. Isso pode acontecer devido à sudorese excessiva em temperaturas extremas, resultando em sintomas como sede intensa, boca seca, urina escura e fraqueza.
  • Estresse Térmico: O estresse térmico ocorre quando o corpo não consegue dissipar o calor adequadamente e a temperatura interna aumenta. Isso pode levar a sintomas como tonturas, confusão mental e, em casos graves, insolação.
  • Cólicas pelo Calor: As cólicas pelo calor são dores abdominais intensas, frequentemente acompanhada de náuseas, vômitos, tonturas e fraqueza. São frequentemente causadas pela desidratação e pela perda excessiva de sais minerais devido à transpiração excessiva
  • Insolação: A insolação é uma condição grave causada pela exposição prolongada ao calor, resultando em uma temperatura corporal muito alta. Os sintomas incluem confusão, tonturas, náuseas, vômitos e, em casos extremos, perda de consciência. É uma emergência médica.
  • Exaustão por Calor: A exaustão por calor é uma condição menos grave do que a insolação, mas ainda séria. Causa sintomas como fraqueza, sudorese intensa, pulso rápido e fraco, náuseas e vômitos.
  • Brotoeja pelo Calor (Miliária Rubra): ocorre quando os ductos das glândulas sudoríparas ficam bloqueados, levando a erupções cutâneas vermelhas e coceira.
  • Edema pelo Calor: é o acúmulo de líquido nos tecidos, resultando em inchaço, geralmente em áreas como pés, tornozelos, mãos ou rosto. Pode causar sensação de peso, pele quente e vermelhidão, além de possível dor ou sensibilidade na região afetada.

Portanto, é crucial adotar medidas para se proteger do calor excessivo e prestar atenção aos sinais de problemas de saúde relacionados ao calor durante uma onda de calor.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!