Um relatório divulgado pela Trend Micro, uma empresa de soluções em cibersegurança, aponta que o Brasil é o segundo país do mundo mais vulnerável a ataques de hackers. Segundo os números da pesquisa, apenas os Estados Unidos tiveram mais ameaças bloqueadas no primeiro semestre de 2023.

Leia mais

Segundo a Trend Micro, cerca de 85,6 bilhões de ameaças foram bloqueadas em todo o mundo no período. O número já representa 59% do total registrado em 2022. Estados Unidos, Brasil e Índia são os principais alvos dos ataques hackers.

Desde 2013 o Brasil tem figurado como principal alvo na América Latina e como um dos países mais visados pelos criminosos digitais em todo o mundo. Para elevar o nível de proteção é fundamental que as organizações e empresas adotem soluções de segurança em multicamadas, para ampliar a visibilidade e a detecção de comportamentos suspeitos, e para terem resposta rápida no caso de invasões.

César Cândido, diretor geral da Trend Micro Brasil

O relatório mostra ainda que o principal vetor de ação dos criminosos neste semestre foram os arquivos maliciosos. No total, foram 45,9 bilhões de ataques, o que corresponde a 53,6% do total de bloqueios realizados pela empresa no no primeiro semestre de 2023.

publicidade

A indústria foi o alvo preferido dos hackers no período, com mais de 10 bilhões de ataques, seguido pelos setores de saúde (9,7 bilhões), tecnologia (9,5 bilhões), varejo (7,8 bilhões) e governo (6,4 bilhões).

As investidas por e-mail também foram muito utilizadas pelos criminosos cibernéticos, com mais de 37 bilhões (43%) de ofensivas maliciosas no semestre. Os Estados Unidos foram o país mais atacado por esse tipo de estratégia, seguido por China, Holanda, França e Rússia.

Número de ataques hackers em 2023 já representa 59% do total registrado em 2022 (Imagem: Sashkin/Shutterstock)

Alvos preferidos dos hackers

  • Para além do usuário comum, os hackers também buscam invadir sistemas de grandes empresas e até mesmo casas que contenham dispositivos inteligentes.
  • ransomware é uma das estratégias mais comuns.
  • Segundo o relatório da Trend Micro, no primeiro semestre de 2023 totalizaram quase 6,7 milhões de casos.
  • Nesse tipo de golpe, os hackers “sequestram” dados pessoais e importantes, principalmente para empresas, e pedem um resgate em dinheiro ou criptomoedas.
  • Os mais atingidos por esse tipo de ataque no primeiro semestre de 2023 foram os bancos, o varejo e empresas de transporte, com maior incidência na Turquia, Estados Unidos e Japão.
  • O estudo também revelou que os principais alvos das campanhas de malware foram os setores governamental e industrial, com cerca de 145 mil registros cada um, seguidos pelas áreas de saúde (124.300), educação (101.400) e tecnologia (89 mil).
  • Estados Unidos, Japão e Itália foram os países com o maior número de casos.
  • As informações são da revista Exame.