Os senadores Marsha Blackburn e Richard Blumenthal buscam informações sobre as transferências de executivos da ByteDance – empresa dona do TikTok e sediada na China – para a rede social. Alguns saíram da sede da companhia, em Pequim, para trabalhar nos EUA – e vice-versa.

Para quem tem pressa:

  • Os senadores dos EUA Marsha Blackburn e Richard Blumenthal solicitaram informações ao TikTok sobre as transferências de executivos da ByteDance, empresa controladora da rede social;
  • Eles expressaram preocupações sobre as movimentações de pessoal entre a sede da ByteDance em Pequim e o TikTok nos EUA e vice-versa, sugerindo que isso poderia comprometer a segurança dos dados e a independência da rede social;
  • Executivos de alto escalão têm se transferido entre as empresas desde o início de 2023, assumindo cargos-chave nas operações lucrativas do TikTok;
  • A carta dos senadores inclui perguntas sobre o número de funcionários contratados pelo TikTok que tiveram vínculos anteriores com a ByteDance e se o TikTok divulgou essas mudanças ao governo dos EUA;
  • O TikTok afirmou que não escondeu sua relação com a ByteDance, destacando que é comum em organizações globais que os funcionários trabalhem em diferentes produtos ou locais ao longo de suas carreiras.

Em uma carta enviada ao TikTok nesta terça-feira (03), os senadores perguntaram sobre a relação entre essas movimentações. Eles também questionaram se o TikTok divulgou as recentes movimentações de pessoal ao governo dos EUA, conforme publicado pelo Wall Street Journal.

Leia mais:

Desde o começo de 2023, os executivos graúdos que se transferiram da ByteDance para o TikTok assumiram alguns dos principais cargos nas operações lucrativas da rede social. Alguns se mudaram dos Estados Unidos para Pequim e outros trouxeram equipes consigo.

publicidade

As mudanças de pessoal dão a impressão de que o TikTok está tentando preservar a influência da ByteDance sobre o TikTok enquanto evita suspeitas. Estamos preocupados que essas mudanças de pessoal comprometam a segurança dos dados dos EUA e as afirmações que o TikTok fez sobre sua independência da ByteDance.

Senadores Marsha Blackburn e Richard Blumenthal, em carta endereçada ao CEO do TikTok, Shou Zi Chew

Transferências entre TikTok e ByteDance

Mão mexendo no celular com o TikTok
(Imagem: Pexels)

O TikTok tem enfrentado escrutínio das autoridades dos EUA por receios de que o governo chinês possa pressioná-lo por dados dos seus usuários estadunidenses ou usar o aplicativo para espalhar propaganda, preocupações que o TikTok negou repetidamente.

Um porta-voz do TikTok disse que a empresa não escondeu sua relação com a ByteDance. Ele disse anteriormente que, em uma organização global grande, não é incomum para os funcionários trabalharem em diferentes produtos ou em vários locais ao longo de suas carreiras.

A carta – assinada pela senadora Marsha (republicana do Tennessee) e o senador Blumenthal (democrata de Connecticut) – direciona diversas perguntas ao CEO do TikTok. Entre os questionamentos, estão:

O número de funcionários contratados pelo TikTok que trabalharam anteriormente na ByteDance;
Se o TikTok divulgou as mudanças de pessoal a um comitê do governo dos EUA;
Informações sobre quaisquer restrições na comunicação entre os funcionários do TikTok que trabalharam anteriormente na ByteDance e o pessoal alocado na China.

Na carta, os senadores solicitam respostas às perguntas até 13 de outubro.