Arqueólogos encontraram centenas de jarros de vinho de cerca de 5.000 anos dentro de potes lacrados. A descoberta aconteceu no túmulo da Rainha Merneith em Abydos, Sohag, cidade na margem oeste do Nilo.

  • Além dos potes, foram encontrados sementes de uva conservadas;
  • De acordo com Mostafa Waziri, secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, os jarros são grandes e estão em boas condições;
  • A equipe de investigação trabalha para descobrir mais sobre a vida da Merneith, a qual acredita-se que seja a primeira mulher faraó, conforme relatou o Greek Reporter.
sementes de uva conservadas
Sementes de uva encontradas no túmulo real. (Imagem; Reprodução / Ministério do Turismo e Arqueologia do Egito)

A descoberta de jarras de vinho intactas e seladas em Abydos, juntamente com sementes de uva bem preservadas, tem o potencial de aumentar significativamente a nossa compreensão de alguns dos primeiros processos de produção, utilização e comércio de vinho no antigo Mediterrâneo e no Norte de África.

 Emlyn Dodd, Professor do Instituto de Estudos Clássicos da Universidade de Londres que não está envolvida com a investigação à Newsweek.

Leia mais:

De acordo com o professor, ao analisar os resíduos deixado dentro dos frascos seria possível descobrir a composição química do vinho que estava dentro, revelando “seu perfil de sabor, e quaisquer ingredientes que foram utilizados”.

Túmulos encontrados

Outra descoberta no local foi que a tumba da Rainha Merneith foi construída com materiais como tijolos brutos, argila e pranchas de madeira.

publicidade

Segundo, Christiana Kohler, arqueologista egípcia que lidera a investigação, o túmulo real da Raina Merneith é possivelmente o único da Primeira Dinastia do Antigo Egito encontrado até o momento.

Próximo ao túmulo real foram encontrados 41 tumbas de conselheiros e servos da rainha.

Túmulos egito antigo
Túmulos encontrados na cidade de Sohag. (Imagem; Reprodução / Ministério do Turismo e Arqueologia do Egito)

Por que as investigações sobre Merneith interessam os pesquisadores?

De acordo com registros históricos, Merneith pode ter governado o Egito sozinha por volta de 2.950 a.C. Portanto, ela pode ter sido a primeira mulher em posição de governo (faraó).

No entanto, isso ainda não é certo, pois alguns pesquisadores argumentam que ela nunca governou de forma independente. Outros pesquisadores contradizem afirmando que, na verdade, Neithhotep foi a primeira rainha que se tem registro.