Enquanto diversas nações trabalham em mecanismos para ampliar e suprir com as demandas energéticas a longo prazo, a Europa poderá se alimentar de suas próprias fontes de energia renováveis até 2030, aponta um estudo. Para esse alcance, governos e investidores privados terão que desembolsar bilhões de euros.

Um novo relatório do Instituto Potsdam para a Investigação do Impacto Climático destaca que seria necessário mais de uma década para tornar a Europa autossuficiente de energia – incluindo a conversão de equipamentos alimentados por petróleo ou gás para energias renováveis – mas que essa é uma realidade não tão distante, e que depende de diversos fatores financeiros.

O estudo

  • De acordo com o relatório, a criação de um setor energético autossustentável na Europa custaria cerca de 2 trilhões de euros (R$ 10 trilhões);
  • Para isso, serão necessários 140 bilhões de euros anuais até 2030 e 100 bilhões de euros por ano na década seguinte;
  • Porém, esses números refletem em 75% do orçamento anual da União Europeia (UE), ou seja, a maior parte desse investimento teria que ser advindo de iniciativas privadas, destaca o Euro News.

Leia mais:

“Estes números são consideráveis, mas é importante lembrar que se estima que os países europeus tenham gasto 792 mil milhões de euros adicionais no último ano apenas no sistema de status quo para proteger os consumidores dos efeitos da crise energética introduzida pela invasão russa. para a Ucrânia”, disse o estudo.

publicidade

Por mais que a maior parte desses fundos fosse necessária para a expansão da energia eólica, diversos recursos solares de hidrogênio e geotérmicos também seriam grandes contribuintes para essa estratégia.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!