Um novo recorte do Censo de 2022 foi divulgado nesta sexta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados apontam uma modificação do perfil da população brasileira nas últimas décadas. A conclusão é que hoje, o Brasil está mais velho.

Leia mais

Brasil teve o maior salto de envelhecimento

  • Segundo o IBGE, a idade média do brasileiro passou de 29 anos, em 2010, para 35 anos, em 2022.
  • O Brasil ainda registrou o maior salto de envelhecimento entre dois censos desde 1940.
  • Em 2010, a cada 30,7 idosos (65 anos ou mais), o país tinha 100 jovens de até 14 anos.
  • Agora, são 55 idosos para cada 100 jovens, evidenciando o envelhecimento da população brasileira.
  • O Censo 2022 ainda aponta que a população feminina está aumentando de forma constante no país nas últimas décadas.
  • Hoje, as mulheres são 51,5% dos 203 milhões de brasileiros.
  • Há cerca de 104,5 milhões de mulheres e 98,5 milhões de homens (uma diferença de 6 milhões).
  • Em 2010, o país tinha 96,9 homens para cada 100 mulheres.
  • Em 2022, eram 94,2 homens para cada 100 mulheres.
  • As informações são do G1.
Recenseador do IBGE no Censo 2022
Recenseador do Censo (Imagem: IBGE)

O que diz o IBGE

De acordo com o IBGE, alguns fatores explicam os resultados. A taxa de fecundidade dos brasileiros, por exemplo, diminuiu ao longo das últimas décadas. Esse índice aponta o número de nascidos a cada mil mulheres em idade fértil.

O Norte é a região mais jovem, com 25,2% da população tendo até 14 anos. A idade mediana da região é também a mais baixa: 29 anos. Em 2010, ela era de 24 anos. Já o Sudeste e o Sul são os mais envelhecidos. Cerca de 12% dos moradores têm 65 anos ou mais.

publicidade

Os estados com maior proporção de idosos são Rio Grande do Sul (14,1% da população), Rio de Janeiro (13,1%) e Minas Gerais (12,4%). Já os estados com maior proporção de jovens (até 14 anos) são Roraima (29,2%), Amazonas (27,3%) e Amapá (27%).

A maior quantidade de mulheres, por outro lado, acontece em razão das maiores taxas de mortalidade entre os homens. Como a população feminina morre menos, a tendência é que o Brasil continue ficando cada vez mais feminino.

De acordo com os dados, na faixa até os 24 anos de idade, os homens ainda são maioria na população. A partir dessa idade, no entanto, as mulheres assumem a liderança.

A população é majoritariamente feminina em todas as regiões do país, mas o Norte é a região com mais homens (49,9%). Já o Sudeste é a região com mais mulheres (51,8%). Apenas quatro estados têm mais homens que mulheres: Acre, Tocantins, Roraima e Mato Grosso.