A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) foi notificada pela farmacêutica Novo Nordisk sobre a circulação no Brasil de dois lotes falsificados do Ozempic. O medicamento é indicado para o tratamento de diabetes tipo 2 e também é usado por pacientes para o emagrecimento — embora ele não tenha sido aprovado para esse fim, como destaca a farmacêutica responsável. Os produtos já foram retirados de circulação.

Leia mais

Casos semelhantes também na Europa

  • Lotes de Ozempic alterado foram apreendidos entre os dias 7 de junho e 18 de outubro deste ano, de acordo com notificações publicadas no Diário Oficial da União.
  • Não se sabe ao certo quando os lotes do remédio (identificados como MP5C960 e o LP6F832) chegaram ao país.
  • Casos de produtos irregulares já foram relatados no Reino Unido e em outros países da Europa. 
  • Na Áustria, por exemplo, o governo emitiu um alerta à população local, depois que algumas pessoas foram internadas com quadros de hipoglicemia e convulsões pelo uso do remédio falso.
  • As informações são da BandNews FM.
Fachada do prédio da Anvisa
Os produtos já foram retirados de circulação pela Anvisa (Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Ozempic falsificado

Segundo a Anvisa, a identificação do lote MP5C960 foi realizada pela própria Novo Nordisk, empresa que possui a patente do medicamento. A fabricante identificou remédios com concentração alterada da substância e rótulo em espanhol.

O lote mais recente também foi identificado pela Novo Nordisk foi classificado como “falsificado”, já que a farmacêutica não reconhece a existência do lote. No entanto, as numerações identificadas como irregulares na Europa não foram encontradas no Brasil.

publicidade

Especialistas relatam que pacientes têm conseguido comprar a semaglutida (princípio do Ozempic) em formatos de manipulação. Como apenas a Novo Nordisk tem acesso ao remédio, não se sabe ao certo a origem das moléculas, e se elas são ou não seguras.

Nota da Novo Nordisk

Em contato com o Olhar Digital, a e empresa afirmou o seguinte:

“O Ozempic® foi aprovado pelas autoridades sanitárias para tratamento de adultos com diabetes tipo 2 insuficientemente controlado, sendo que não foi aprovado em nenhum lugar do mundo o uso do medicamento para tratamento de obesidade. Além disso, a farmacêutica não endossa ou apoia a promoção de informações de caráter off-label de seus medicamentos, ou seja, em desacordo com a bula.

Em relação à escassez, como fornecedora responsável e sempre preocupada com a saúde e segurança de seus pacientes, a Novo Nordisk comunica que a apresentação de Ozempic® 0,25m e 0,5mg está com a disponibilização normalizada no mercado brasileiro desde 28 de setembro de 2023.

A apresentação de Ozempic® 1mg seguirá com disponibilidade intermitente durante o primeiro semestre de 2024 devido à demanda maior que a prevista. Importante ressaltar que não há problemas de qualidade ou regulatórios com nenhuma das apresentações do produto. Mais informações, como pontos de venda com disponibilidade de Ozempic®, podem ser obtidas com o SAC da Novo Nordisk pelo telefone 0800 014 44 88 ou pelo e-mail sac܂br@novonordisk܂com.

Quanto à falsificação de Ozempic® no Brasil, até o momento não foram detectados casos de novos lotes falsificados em 2024, somente os previamente reportados.

A Novo Nordisk segue investigando e denunciando todos os casos de falsificação de que tem conhecimento às autoridades, de acordo com as legislações aplicáveis. A instituição trabalha com empresas terceiras especializadas no monitoramento e eliminação da oferta ilegal de produtos falsificados, tanto no mundo virtual quanto no “mundo real”. A segurança do paciente está sempre em primeiro lugar para a Novo Nordisk, que seguirá combatendo ativamente todo e qualquer produto falsificado.

A recomendação é que pacientes sempre comprem seus medicamentos apenas em farmácias devidamente licenciadas e que cumpram com todos os requerimentos sanitários exigidos pela Anvisa.

Na hora da compra, desconfie:

  • sites e canais não licenciados pela Anvisa para comercialização de medicamentos e que usam os nomes das marcas e/ou adotam aplicativos de vendas e redes sociais para ofertar os produtos;
  • embalagem do medicamento visivelmente alterada, em idioma estrangeiro, com aparência farmacêutica (apresentação) diferente da registrada e com informações incorretas sobre o produto – Ozempic® é vendido apenas em canetas pré-preenchidas injetáveis;
  • preços muito abaixo dos aprovados pelo governo (todos os produtos Novo Nordisk seguem a tabela da CMED, órgão federal que regulamenta o preço dos medicamentos no país).

Em caso de dúvidas sobre os pontos de vendas ou mesmo sobre o medicamento adquirido, os pacientes podem acessar o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) da Novo Nordisk Brasil, disponível no website na seção Fale Conosco”.