A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) anunciou nesta terça-feira, 31 de outubro, que concluiu a revisão de segurança do Starship, que avalia os riscos que um lançamento pode representar para a saúde pública e a propriedade. No entanto, ainda há outra barreira regulatória a ser superada antes que a SpaceX possa obter a licença para a próxima decolagem do Starship.

A FAA continua trabalhando na revisão ambiental. Como parte da revisão ambiental, a FAA está consultando o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos Estados Unidos (USFWS) em uma Avaliação Biológica atualizada sob a Lei de Espécies Ameaçadas. A FAA e o USFWS devem concluir esta consulta antes que a parte da avaliação ambiental da licença seja finalizada.

Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA), em comunicado via Space.com
  • O Starship é o maior e mais poderoso foguete já construído. É composto por dois elementos totalmente reutilizáveis: o propulsor Super Heavy e o estágio superior Starship, com uma altura de quase 122 metros quando totalmente montado.
  • Até o momento, o veículo em tamanho real voou apenas uma vez, em um voo de teste lançado em 20 de abril a partir de Starbase, a instalação à beira-mar da SpaceX no sul do Texas.
  • Essa missão tinha como objetivo enviar o estágio superior do Starship parcialmente ao redor do mundo, com um pouso no Oceano Pacífico, perto do Havaí.
  • No entanto, o Starship enfrentou vários problemas logo após a decolagem, incluindo uma falha na separação de seus dois estágios. Como resultado, o veículo foi intencionalmente detonado acima do Golfo do México.
  • A FAA iniciou uma investigação sobre o incidente, que foi encerrada em 8 de setembro.
  • No entanto, na época, a agência destacou que mais trabalho era necessário antes que a SpaceX pudesse receber uma licença para o segundo lançamento do Starship.

Leia mais:

“A SpaceX deve implementar todas as ações corretivas que afetam a segurança pública e solicitar e receber uma modificação de licença da FAA que aborde todos os requisitos de segurança, ambientais e regulatórios aplicáveis antes do próximo lançamento do Starship”, afirmou a agência na época. E, como observa a atualização da FAA de hoje, ainda há trabalho a ser feito no lado ambiental.

A revisão em andamento aparentemente se concentra nos possíveis impactos de um sistema de inundação de água que a SpaceX instalou sob a base de lançamento orbital da Starbase após o voo de teste de abril.

publicidade

O novo sistema foi projetado para proteger a base do poder destrutivo dos 33 motores Raptor do Super Heavy, o que ficou evidente em 20 de abril: os Raptors criaram uma grande cratera sob a base, fazendo com que pedaços de concreto e outros detritos caíssem sobre a Starbase e a área circundante.

Se tudo correr bem, devemos esperar que o Starship voe relativamente em breve, depois que a revisão ambiental for concluída. A SpaceX, juntamente com seu fundador e CEO, Elon Musk, afirmaram que o veículo mais recente passou em todos os testes pré-lançamento e está pronto para decolar.