Os bombardeios de Israel já destruíram boa parte da cidade de Gaza. Além dos milhares de mortos, o mais recente conflito entre as forças israelenses e o grupo terrorista Hamas pode provocar o desaparecimento de um pedaço da história da humanidade. Isso porque Gaza é considerada uma das cidades mais antigas do mundo.

Leia mais

Disputas históricas pela cidade

  • O território é alvo de disputas há milênios.
  • Antes do conflito entre palestinos e judeus, Gaza foi contestada por faraós, persas, gregos, romanos, bizantinos, árabes, fatímidas, mamelucos, cruzados e otomanos.
  • Localizada ao norte da Faixa de Gaza, ela tem uma população estimada de 749.100, segundo dados do Palestinian Central Bureau of Statistics.
  • A densidade populacional é uma das maiores da região, com mais de 9 mil pessoas por km², o que torna a invasão à área uma das operações militares mais complexas a serem realizadas pelo Exército de Israel .
  • É na Cidade de Gaza que está localizado, por exemplo, o hospital Ahli-Arab, onde ocorreu uma explosão que matou centenas de civis feridos e pessoas que não tinham onde dormir.
  • As informações são do G1.
Bombardeios na Cidade de Gaza (Imagem: Anas-Mohammed/Shutterstock)

Gaza: da Bíblia à Napoleão

Um dos pontos mais históricos da Cidade de Gaza é a Igreja de São Porfírio, considerada a terceira igreja mais antiga do mundo, de acordo com a publicação Business Insider. A construção, de 425 d.C, desabou parcialmente durante um ataque em 21 de outubro.

O local é, inclusive, mencionado na Bíblia, que diz que teria sido na Cidade de Gaza que Sansão derrubou o templo dos filisteus.

publicidade
Igreja de São Porfírio, em Gaza (Imagem: Anas-Mohammed/Shutterstock)

Gaza ainda teve outros momentos importantes na história humana. Um deles foi o cerco à cidade, em 332 a.C, promovido por Alexandre, o Grande. Já em 1187, ela foi capturada pelo sultão Saladino.

Em 1799, por sua vez, Gaza foi ocupada por Napoleão durante a batalha entre a França e o Império Otomano. A passagem do líder militar rendeu um ponto turístico: O Forte de Napoleão, localizado na Rua Al-Wahda, no centro da Cidade Velha.

Mais recentemente, a cidade foi tomada por Israel na Guerra dos Seis Dias, em 1967, e entregue aos palestinos em 2005. Mas desde 2007, o local é controlado pelo Hamas, que venceu as eleições e depois expulsou a Autoridade Palestina.

Atualmente, o território vive um cenário de extrema pobreza. Os pontos de entrada são controlados por Israel, ao norte, e pelo Egito, ao sul. Desde o início da guerra, há um bloqueio total de Gaza. Os habitantes sofrem com a falta de água, energia, combustíveis, alimentos, remédios e outros produtos básicos.