A Comissão Europeia vai analisar denúncias de que as empresas Coca-Cola, Danone e Nestlé mentem ao afirmarem que suas garrafas plásticas de água seriam “100% recicladas ou 100% recicláveis”. Um organismo de defesa dos consumidores e dois grupos ambientalistas alegam que as companhias praticam greenwashing, ou seja, fazem campanhas e marketing promovendo preocupações ecológicas mas sem de fato agir como tal.

Leia mais

Entenda o caso

A Organização Europeia do Consumidor, apoiada pelos grupos ambientalistas Client Earth e ECOS, afirma que as garrafas dessas empresas nunca são produzidas inteiramente de materiais reciclados. E que a capacidade de reciclá-las depende de uma série de fatores, incluindo a infraestrutura disponível no local onde são comercializadas.

A evidência é clara: as garrafas plásticas de água simplesmente não são recicladas repetidamente para se tornarem novas garrafas na Europa. Uma taxa de reciclagem de ‘100%’ para garrafas não é tecnicamente possível e, só porque as garrafas são feitas com plástico reciclado, não significa que não prejudiquem as pessoas e o planeta. É importante que as empresas não representem a reciclagem como uma solução mágica para a crise do plástico. Em vez disso, precisam concentrar esforços na redução do plástico na fonte.

Rosa Pritchard, advogada da ClientEarth

Em resposta, a Coca-Cola disse que está “trabalhando para reduzir a quantidade de embalagens plásticas e investindo para coletar e reciclar o equivalente às embalagens”. A empresa ainda observou que as embalagens dos produtos trazem mensagens para aumentar a conscientização sobre a reciclagem.

publicidade

Já a Nestlé afirmou que está reduzindo o uso de plástico em embalagens. Enquanto a Danone disse acreditar “fortemente na circularidade das embalagens, e continuaremos a investir e a liderar a campanha para uma melhor infraestrutura de coleta e reciclagem juntamente com os nossos parceiros”.

(Imagem: JRomero04/Shutterstock)

O que pode acontecer com as empresas?

  • O greenwashing é considerado uma prática enganosa dirigida a consumidores que querem ajudar o planeta escolhendo produtos que não danificam o meio ambiente.
  • Se a Comissão Europeia acatar a reclamação, poderá organizar uma resposta coordenada entre as autoridades nacionais de defesa do consumidor.
  • Na prática, as companhias podem ser obrigadas a corrigir o problema e até receber multas pelas irregularidades.
  • As informações são da BBC.