Os cortes de empregos – também chamados de layoffs – afetam o setor de tecnologia desde 2022. Mas as ondas de demissões aumentaram em 2023. O cenário combina uma espécie de rebote das mudanças trazidas pela pandemia de Covid-19 com tropeços comerciais das empresas, tanto big techs quanto as de menor porte.

Leia mais:

publicidade

Para facilitar o acompanhamento dessas mudanças, o Engadget compilou os principais “pacotes” de demissão no setor de tecnologia noticiados em 2023.

Demissões no setor de tecnologia em 2023

Confira abaixo a lista de demissões divulgadas ao longo do ano no mundo tech, organizada de forma cronológica:

Janeiro

  • Google (Alphabet): 1,2 mil demissões;
  • Amazon: 18 mil demissões (mais 9 mil em março e 100 em abril);
  • Coinbase: 950 demissões;
  • IBM: 3,9 mil demissões;
  • Microsoft: 10 mil demissões (entre janeiro e março);
  • PayPal: 2 mil demissões;
  • Salesforce: 8 mil demissões;
  • SAP: 2,8 mil demissões;
  • Spotify: 9,8 mil demissões;
  • Wayfair: 1.750 demissões;

Fevereiro

  • Rivian: 840 demissões;
  • Zoom: 1,3 demissões;
  • Yahoo: 1,6 mil demissões;
  • Dell: 6.650 demissões;
  • Deliveroo: 350 demissões;
  • DocuSign: 746 demissões (estimativa);
  • GitLab: 114 demissões;
  • GoDaddy: 500 demissões;
  • Twilio: 1,5 mil demissões;
(Imagem: Tada Images/Shutterstock)

Março

  • Roku: 200 demissões;
  • Lucid Motors: 1,3 mil demissões;
  • Meta (Facebook): 10 mil demissões;

Abril

  • Lyft: 1.072 demissões;
  • Dropbox: 500 demissões;

Maio

  • Shopify: demitiu 20% dos funcionários (não divulgou quanto isso representava);
  • Polestar: demitiu 10% dos funcionários (não divulgou quanto isso representava);
  • SoundCloud: demitiu 8% dos funcionários (não divulgou quanto isso representava);

Junho

  • Spotify: 200 demissões;
  • GrubHub: 400 demissões;
  • Embracer Group: demitiu parte dos seus 17 mil funcionários (não divulgou quantos);
  • Sonos: 130 demissões;
  • Plex: 37 demissões;
Big Techs
(Imagem: Ascanio/Shutterstock)

Julho

  • Google: 80 demissões (de subcontratados do Help);
  • CD Projekt Red: 100 demissões;

Setembro

  • Epic Games: 830 demissões;
  • Roku: 300 demissões;

Outubro

  • LinkedIn: 668 demissões (mais 716 em maio);

Novembro

  • Ubisoft: 98 demissões (cortou mil empregos nos últimos 12 meses);
  • Cruise: “algumas” demissões (não divulgou porcentagem nem número);
  • Snap: 20 demissões;
  • Amazon: 180 demissões (mais 18 mil demissões em janeiro, 9 mil em março e 100 em abril).