Uma pedra funerária de 3 mil anos foi descoberta por arqueólogos recentemente na Espanha e chama atenção porque questiona tudo que até então sabíamos sobre os padrões de gênero e sociais dos humanos pré-históricos.

  • A pedra funerária ou estela foi encontrada no complexo funerário de Las Capellanias, na cidade de Cañaveral de León, no sudoeste da Espanha;
  • O monumento data da Idade do Ferro/Bronze e era usada para marcar onde pessoas importantes foram enterradas, como uma lápide, embora pudesse ser usada também para comemoração ou dedicação;
  • Na pedra existe uma figura humana entalhada com rosto, mãos, pés e adornos cuidadosamente esculpidos.

O que se destaca é que o indivíduo entalhado está representado usando um cocar e colar, adornos geralmente associados a figuras femininas, mas a pessoa também foi esculpida segurando duas espadas e com órgãos genitais masculinos.

publicidade

Essa representação na pedra funerária fez os arqueólogos questionarem o que se sabe sobre os padrões de gênero representados nesses monumentos, fazendo-os acreditar que os papéis fossem mais fluidos do que se pensava anteriormente. Além disso, é sugerido que simbolismos que antes eram associados ao masculino ou feminino podem não necessariamente ser restritos a um gênero, ou a outro.

Esse novo achado deixou os pesquisadores entusiasmados, fazendo-os acreditar que a pedra funerária irá balançar um pouco as coisas.

publicidade

Leia mais:

O complexo funerário de Las Capellanias

Além desta, o complexo funerário de Las Capellanias também revelou outras duas pedras que fornecem importantes informações dos rituais funerários do período pré-histórico na Espanha.

publicidade

O sítio arqueológico está localizado numa região que provavelmente foi um caminho natural para uma bacia hidrográfica, o que os pesquisadores explicaram em comunicado que provavelmente pode ter sido uma “rodovia de comunicações de sua época”.

Por causa disso, os arqueólogos acreditam que as pedras funerárias funcionam não só como lápides, como também exerciam o papel de balizas territoriais.