Desde que os primeiros satélites Starlink foram lançados, em 2019, a SpaceX já colocou mais de cinco mil deles em órbita baixa da Terra, com planos de chegar a 42 mil equipamentos, formando uma gigantesca megaconstelação para cobrir uma extensa rede de internet banda larga em todo o mundo. A China, no entanto, parece estar disposta a não deixar isso acontecer.

Em fevereiro, o Olhar Digital noticiou que pesquisadores chineses planejavam lançar sua própria frota de satélites de internet banda larga, visando competir com o serviço oferecido pela SpaceX. 

A megaconstelação chinesa vai consistir em quase 13 mil satélites que não apenas teriam o propósito de fornecer sinal de internet banda larga, mas, também, seriam equipados com tecnologias para derrubar satélites Starlink. E, ao que tudo indica, isso está próximo de começar a sair do papel e se tornar real. 

Nesta quinta-feira (23), a China enviou um número não revelado de equipamentos à órbita para testar tecnologias de internet via satélite.

publicidade

De acordo com o site Spacenews.com, a cápsula Yuanzheng-3 (ou Expedition-3), levando a carga, decolou no topo de um foguete Long March 2D às 7h da manhã (pelo horário de Brasília), do Centro de Lançamento de Satélites Xichang, no sudoeste da China. 

A natureza da carga útil foi anunciada pela Corporação de Ciência e Tecnologia Aeroespacial da China (CASC) somente depois que o lançamento foi declarado bem-sucedido. 

Aplicações dos satélites de internet da China

Nenhum detalhe técnico foi revelado. A agência estatal de notícias Xinhua descreveu o lançamento como um único “satélite experimental para tecnologias de internet via satélite”.

Um comunicado pré-lançamento da Academia de Tecnologia de Voo Espacial de Xangai (SAST), no entanto, sugere que satélites separados foram desenvolvidos pela SAST e pela Academia de Inovação para Microssatélites (IAMCAS), sob contrato com a Academia Chinesa de Ciências (CAS).

Um par de satélites com o mesmo nome foi lançado do espaçoporto de Jiuquan em 9 de julho, a bordo de um foguete Long March 2C. Na ocasião, a Xinhua também caracterizou o lançamento como um único satélite, mas dois entraram em órbita.

A aplicação mais provável para os satélites é realmente o teste para o projeto nacional de megaconstelação de internet via satélite da China, chamado Guowang.

Uma megaconstelação de satélites não apenas forneceria cobertura de telecomunicações e internet internamente, mas também potencialmente posicionaria a China como fornecedora de bens públicos globais, concorrente comercial de outros sistemas e, entre outras coisas, forneceria comunicações militares e governamentais que seriam difíceis de degradar.