Na última quarta-feira (22), o Sol disparou 14 erupções de classe C (fracas) e uma de classe M (moderada). Como resultado, no sábado (25), a Terra foi atingida por jatos de plasma solar disparados por esses eventos, que perfuraram a magnetosfera do planeta às 5h52 da manhã (pelo horário de Brasília).

De acordo com o site de meteorologia e climatologia espacial Spaceweather.com, depois disso, o norte do globo enfrentou uma sequência de 15 horas de tempestades geomagnéticas, de níveis G1 (fraco) e G2 (moderado) –  em uma escala que vai de G1 a G5.

Mas o que isso significa? O nosso Sol está ficando mais ativo? Quais são as consequências?

Para falar mais sobre o assunto, recebemos a Adriana Valio, professora pesquisadora do Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica do Mackenzie. Ela explicou o que são exatamente essas tempestades geomagnéticas. 

publicidade

Uma tempestade geomagnética é uma perturbação significativa na nossa magnetosfera, ou seja, o campo magnético que envolve a Terra e nos protege das partículas ionizadas do meio interplanetário ou interestelar. Essas perturbações, esses distúrbios, eles são causados pelo sol.

Adriana Valio

Confira a entrevista completa!