A aplicação de inteligência artificial na medicina ainda é vista com cautela, mas um novo estudo da Universidade da Flórida em parceria com a NVIDIA teve resultados impressionantes. Nem médicos conseguiram distinguir o que foi feito por humanos do que foi gerado artificialmente.

No caso, um sistema de IA criou anotações médicas com tamanho semelhança à redação humana que nem os profissionais da área acreditaram que era artificial.

A IA foi criada para gerar anotações médicas em relação a consultas com pacientes imitando a linguagem humana, mas também usando termos técnicos.

Para falar mais sobre o assunto, recebemos o doutor Dácio Quadros Netto, médico oncologista clínico do Instituto Paulista de Cancerologia. Ele revelou o que esse estudo trouxe de novo em relação à inteligência artificial na medicina. 

publicidade

Esse estudo é bastante interessante. Ele comprova que a tecnologia vem evoluindo. Houve uma análise, na verdade, de um registro  de anotações de consultas médicas que os médicos não conseguiam distinguir qual era a anotação de médicos e qual era a notação da inteligência artificial, mostrando que a inteligência artificial, de repente, num futuro próximo, pode poupar o trabalho do médico de digitar.

Dácio Quadros Netto

Confira a entrevista completa!