O Olhar Digital News vem cobrindo a construção de uma usina de dessalinização na Praia do Futuro, em Fortaleza, que está gerando muito debate. Empresas que atuam no setor de internet alegam que as obras podem derrubar a conexão no Brasil. Isso porque a Praia do Futuro é um polo de chegada de cabos ópticos submarinos e terrestres. Por outro lado, os responsáveis pela obra dizem que não há risco e que os dutos ficarão a 500 metros dos cabos de internet. Nós pedimos entrevistas e posicionamentos para os dois lados dessa história.

Hoje, conversamos com Marcos Ferrari, presidente-executivo da Conexis — o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel, Celular e Pessoal. Ele explicou os motivos de ser contrário à construção da usina na Praia do Futuro.

Estamos falando de 200.000.000 de pessoas que acessam a internet por meio desses cabos, qualquer tipo de rompimento desses cabos, pode gerar um grande risco para a internet de todo o país. 

Marcos Ferrari

Nós pedimos uma entrevista também à Cagece, empresa estadual de saneamento do Ceará, responsável pelo projeto de dessalinização. A companhia indicou o coordenador da comissão de implantação da Dessal do Ceará, Silvano Porto. Ele estará conosco nesta quinta-feira (30) no Olhar Digital News para passar o outro lado, o lado favorável às obras. Também pedimos nota à Anatel. Em resumo, a agência diz que, depois de avaliar todas as manifestações, se opôs à obra de construção da usina pela proximidade aos cabos submarinos instalados na Praia do Futuro, recomendando a alteração do projeto de construção para outro local dentre aquelas opções avaliadas como possíveis à época do Edital. A Anatel destacou, ainda, que reconheceu a importância do projeto, mas que há uma avaliação desproporcional de riscos nas fases iniciais. O projeto, então, passou por modificações. Agora, a agência está analisando as modificações propostas e verificando se esse convívio é ou não viável.

Em nota ao Olhar Digital, o Ministério das Comunicações afirmou que está alinhado ao posicionamento da Agência Nacional de Telecomunicações e tem buscado um espaço de diálogo e solução para os possíveis impactos do projeto da usina de dessalinização na infraestrutura de cabos submarinos de fibra óptica na Praia do Futuro. Segundo o texto, o ministro Juscelino Filho acompanha as discussões sobre o assunto.