O Google vai trazer o Gemini, sua nova inteligência artificial (IA), para o Android, começando com o Pixel 8 Pro. O smartphone carro-chefe da empresa vai rodar o Gemini Nano, uma versão do modelo de linguagem desenvolvida para dispositivos menores.

Para quem tem pressa:

  • O Google anunciou a introdução de sua nova inteligência artificial, o Gemini, no Android, começando pelo Pixel 8 Pro. Este smartphone utilizará o Gemini Nano, uma versão do modelo de linguagem adaptada para dispositivos menores;
  • O Pixel 8 Pro conta com processador Google Tensor G3, projetado para otimizar o desempenho de IA, permitindo que o smartphone aprimore recursos existentes com novas “inteligências”;
  • O aplicativo Gravador do Pixel 8 Pro, por exemplo, poderá fornecer resumos de conversas sem a necessidade de conexão com a internet. Além disso, o Gemini alimentará o recurso de Resposta Inteligente do Gboard, sugerindo respostas contextualizadas, inicialmente disponíveis apenas no WhatsApp.
  • Como parte do impulso de IA, o Google também atualizou o Bard, seu rival do ChatGPT, com a tecnologia Gemini – o que, no caso do Android, deve trazer melhorias para o Assistente do Pixel;
  • O Google também anunciou o AI Core no Android 14, que permitirá aos desenvolvedores acessar recursos de IA como o Gemini Nano em hardwares de aprendizado de máquina fabricados por outras marcas.

Faz sentido começar pelo Pixel 8 Pro porque o celular conta com o processador Google Tensor G3, projetado para acelerar o desempenho de IA, segundo a empresa. Isso permite que o smartphone adicione “inteligências” aos recursos existentes. As informações foram divulgadas no blog do Google.

Leia mais:

Nova IA do Google no Android

gemini
(Imagem: Divulgação/Google)

O aplicativo Gravador do celular, por exemplo, possui um recurso de resumo que atualmente precisa de conexão com a internet para fornecer um resumo de conversas gravadas, entrevistas e apresentações. Mas graças ao Gemini Nano, o telefone agora será capaz de fornecer um resumo sem precisar de conexão.

publicidade

Os recursos do Gemini também alimentarão o recurso de Resposta Inteligente do Gboard – o teclado do Android. O Gboard sugerirá respostas melhores para mensagens e estará ciente do contexto nas conversas. O recurso está atualmente disponível como uma prévia para desenvolvedores e precisa ser ativado nas configurações. No entanto, ele só funciona com o WhatsApp atualmente e chegará a mais aplicativos em 2023.

Como parte do impulso de IA anunciado nesta quarta-feira (06), o Google atualizou o Bard, rival do ChatGPT, com o Gemini também. Isso deve trazer mudanças para quem usa o Assistente do Pixel, que conta com o chatbot do Google.

O Google também vai implementar uma série de atualizações de produtividade e personalização alimentadas por IA em outros dispositivos Pixel – entre eles, o Pixel Tablet e o Pixel Watch. No entanto, ainda não se sabe exatamente quais são.

Assista abaixo ao vídeo, publicado pelo Google, que resume e mostra o Gemini funcionando no Pixel 8 Pro:

Gemini

O Gemini Nano é a menor versão do grande modelo de linguagem do Google, enquanto o Gemini Pro é um modelo maior que alimentará não apenas o Bard, mas outros serviços do Google (Pesquisa, Anúncios e Chrome, por exemplo).

Já o Gemini Ultra é o modelo mais robusto do Google. Este chegará em 2024 e será usado para avançar ainda mais no desenvolvimento de IA.

Embora as atualizações anunciadas nesta quarta estejam focadas no Pixel 8 Pro, o Google falou sobre o AI Core, um serviço do Android 14 que permite aos desenvolvedores acessar recursos de IA como o Nano.

O Google diz que o AI Core é projetado para funcionar em “novos hardwares de ML, como o mais recente Google Tensor TPU e NPUs em silício de ponta da Qualcomm Technologies, Samsung S.LSI e MediaTek.” A empresa acrescenta que “dispositivos e parceiros serão anunciados nos próximos meses.”