Conforme noticiado pelo Olhar Digital, um dos eventos astronômicos mais aguardados do ano, a chuva de meteoros Geminídeas atingiu seu pico entre quarta (13) e quinta-feira (14). A última madrugada foi a melhor oportunidade para ver incríveis “estrelas cadentes”, que, nesse caso em específico, são bem brilhantes e podem ser até coloridas. 

Sobre a chuva de meteoros Geminídeas:

  • Também chamadas de Gemínidas, essa chuva de meteoros se dá todos os anos, entre 4 e 17 de dezembro;
  • Nos dias de atividade máxima, é possível observar até 120 meteoros por hora, dependendo do local do observador e das condições do céu;
  • Este ano, com a Lua apenas 7% iluminada e nascendo somente no final da noite da máxima, a visualização foi bastante favorecida.

Aqui no Brasil, foram vistos acima de 50 meteoros por hora, dependendo das condições meteorológicas e dos locais de observação.

Uma chuva de meteoros diferente

A maioria das chuvas de meteoros é gerada por detritos da passagem de cometas. No caso da Geminídeas, no entanto, ela é formada por resíduos do asteroide 3200 Faetonte – uma rocha espacial que “imita” o comportamento de um cometa. 

publicidade

Esse asteroide mede em torno de 5,8 km de largura e, conforme se aproxima do Sol, vai se tornando mais brilhante (de forma parecida com a que fazem cometas, que são aquecidos e ficam mais ativos e brilhantes quando perdem gases e poeira com o calor). Os cientistas creditam a “atividade cometária” de Faetonte ao sódio.

Por serem mais densas que o habitual, as pequenas rochas espaciais oriundas desse asteroide entram em nossa atmosfera de maneira muito mais lenta, gerando rastros luminosos duradouros e até bolas de fogo esverdeadas.

Leia mais:

A chuva de meteoros Geminídeas, assim como qualquer outra, é visível a olho nu. Ela pode ser observada de qualquer lugar do Brasil. Como o próprio nome sugere, seu radiante (ponto onde os meteoros aparentam convergir) é a constelação de Gêmeos.

Auroras dão ainda mais encanto ao evento

Diversas imagens da chuva de meteoros Geminídeas foram compartilhadas nas redes sociais – e embora todas sejam belíssimas, seria impossível não destacar os registros que mostram outro evento impressionante ao mesmo tempo: a formação de auroras nas latitudes mais altas do globo. Confira:

Outras imagens espetaculares da chuva de meteoros Geminídeas: