Após aceitar acordo preliminar, o Google finalmente resolveu o processo judicial coletivo que o acusava de rastrear secretamente usuários da navegação anônima do Chrome. De acordo com a Reuters, o julgamento agendado para 5 de fevereiro de 2024 foi oficialmente cancelado na quinta-feira (28) pela juíza distrital dos EUA, Yvonne Gonzalez Rogers, concluindo a ação. 

O que você precisa saber: 

  • O processo buscava pelo menos US$ 5 bilhões por danos aos usuários; 
  • Os termos do acordo não foram divulgados, mas há um termo de compromisso vinculativo por meio de mediação (um tipo de manifestação positiva para solução de disputas); 
  • Os advogados esperam apresentar um acordo formal para aprovação do tribunal até 24 de fevereiro de 2024; 
  • O Google ainda não se pronunciou oficialmente sobre o encerramento do caso. 

Leia mais! 

Ajuizado em 2020, o processo alegava que as análises, cookies e aplicativos do Google permitiam que a unidade Alphabet rastreasse as atividades mesmo quando eles configuravam o navegador Chrome do Google para o modo de navegação privada. 

publicidade

Com a coleta, o Google se tornou um banco de dados “repleto de informações”, o que beneficiava a empresa na publicidade on-line direcionada, entre outros aprendizados. 

A ação judicial coletiva, que cobria milhões de usuários e oficialmente buscava indenização por violações das leis federais de escuta telefônica e leis de privacidade da Califórnia, denunciou a empresa por enganar as pessoas sobre o real controle de suas informações. 

Antes de chegar ao atual acordo, a juíza responsável pelo caso, Rogers, citou a política de privacidade do Google e outras declarações da empresa que sugeriam limites às informações que ela poderia coletar — isso após rejeitar o encerramento do processo, pedido feito pela big tech em agosto deste ano. 

Nenhum dos lados tornou público os detalhes do acordo, mas já existe consenso sobre os termos que serão apresentados ao tribunal para aprovação em fevereiro.