Além dos planos de exploração espacial, a NASA também possui projetos ambiciosos em andamento da sua divisão de aviação. Um deles é a aeronave experimental X-59.

Após seis anos de trabalho, o modelo será revelado oficialmente nesta sexta-feira, 12 de janeiro, e pode mudar a aviação nas próximas décadas. O plano é trazer de volta um conceito que ficou no passado com o extinto Concorde: as viagens supersônicas para civis.

Leia mais:

A NASA afirma que o momento será uma “marco histórico” para aviação e por boas razões. Se o modelo for bem-sucedido, poderá acabar com uma proibição de décadas para voos comerciais em certos tipos de aeronaves.

publicidade
Imagem: Divulgação

Em 1973, por exemplo, quando o Concorde começava a ganhar espaço em voos civis, as autoridades americanas restringiram a velocidade que podiam sobrevoar regiões habitadas. O motivo? O forte ruído que geravam ao cruzar a barreira do som.

Nem mesmo o primeiro e único avião supersônico civil do mundo conseguiu contornar essa proibição. O X-59, entretanto, pode mudar isso.

Avião supersônico silencioso

O segredo do avião experimental da NASA está no design. O X-59  é moldado para separar os choques e expansões associados ao voo supersônico, enquanto outras aeronaves criam um aumento na pressão no nariz e o famoso estrondo sônico.

Imagem: Divulgação

O resultado esperado, segundo a NASA, é reduzir os níveis de ruído para cerca de 60 dB (o mesmo que uma conversa normal entre duas pessoas).

Lançamento

A NASA transmitirá o evento de lançamento da aeronave no serviço de streaming oficial da agência, no aplicativo da NASA, no YouTube, e no site da agência.

Os próximos passos

  • Após a revelação oficial, a aeronave entrará em uma série de testes, culminando no primeiro voo real marcado para o fim de 2024.
  • O objetivo é determinar o quão alto é o som emitido durante o vôo e como ele é percebido pelas pessoas no solo.
  • Após reunir dados relevantes, a NASA irá enviar os achados para os reguladores americanos.
  • Dados sobre como o X-59 foi construído e o que o faz funcionar também serão compartilhados com a indústria da aviação.
  • A esperança é que, um dia, alguém crie novamente uma aeronave viável capaz de mover passageiros em velocidades supersônicas.