Em seu relatório de lucros do quarto trimestre, divulgado na noite de terça-feira (23), a Netflix revelou que, a partir do segundo trimestre de 2024 (abril a junho), seu plano básico mais barato sem anúncios não estará mais disponível no Canadá e Reino Unido. Medida, que também foi implementada no Brasil no ano passado, visa direcionar assinantes para o plano mais barato com anúncios. 

O que você precisa saber: 

  • Conforme lembrou o Engadget, já não era possível assinar o plano desde julho, já que a Netflix tinha planos não apenas de aumento de preços, mas de reestruturação das opções disponíveis; 
  • A medida de exclusão definitiva do plano básico sem anúncios chega como estratégia para redirecionar novos assinantes ao plano mais barato com anúncios — ou os pacotes mais caros sem anúncios; 
  • Vale pontuar, no entanto, que atuais assinantes não poderão mais manter o plano, sendo necessário selecionar e migrar para um novo nível; 
  • A estratégia também mostra que o streaming está tentando impulsionar seu negócio de publicidade sem depender demais dos constantes aumentos de preços. 

Leia mais! 

Queremos retirar nosso plano Básico em alguns de nossos países de anúncios, começando pelo Canadá e Reino Unido no segundo trimestre, e continuando a partir daí. 

Netflix em relatório de lucros. 

Com o plano com anúncios representando atualmente 40% de todas as inscrições da Netflix, a estratégia deve ser aplicada a outros países em breve, como nos EUA, seu maior mercado em assinantes e receita. 

publicidade

Importante lembrar que, no Brasil, terceiro maior mercado do streaming, o plano básico sem anúncios foi descontinuado em outubro do ano passado, também durante apresentação de seus resultados financeiros. Na época, a companhia cancelou a opção de R$ 25,90 apenas para novos assinantes, sobrando apenas os planos padrão com anúncios (R$ 18,90), padrão sem anúncios (R$ 39,90) e premium (R$ 55,90). Confira detalhes aqui

É possível que agora, com a expansão da estratégia para o Canadá e Reino Unido, os assinantes do extinto plano básico mais barato sem anúncios no Brasil também sejam forçados a migrar para outras opções.

2023: bom ano para a Netflix 

A Netflix vem de um 2023 no qual alcançou seus melhores resultados desde 2020, quando experimentou um boom de assinantes devido à pandemia da Covid-19. Em relatório do seu quarto e último trimestre do ano passado, divulgado esta semana, o streaming revelou que bateu novo recorde de assinantes, elevando o número total para 260 milhões — no terceiro trimestre de 2023 a empresa tinha 247 milhões. 

Para a empresa, suas estratégias, como o fim do compartilhamento de senhas, embora criticadas, estão funcionando como o esperado, animando investidores e impulsionando a empresa no mercado.