A General Motors (GM) anunciou que cortará cerca de US$ 1 bilhão em gastos com a Cruise em 2024, sua unidade de robotáxis (direção autônoma). A redução será a segunda dedicada à divisão, que entrou em crise após um acidente com um dos seus veículos dar início a uma investigação contra a empresa. 

O que você precisa saber: 

  • Desde outubro de 2023, a Cruise enfrenta desafios após a ocorrência de alguns acidentes, em destaque um no qual o robotáxi da empresa atropelou e arrastou uma pedestre; 
  • Com isso, o Departamento de Veículos Motorizados da Califórnia revogou as licenças da companhia para rodar nos EUA; 
  • A administração Nacional de Tráfego e Segurança Rodoviária também abriu uma investigação contra a empresa; 
  • Com uma crise instalada, os fundadores da Cruise, Kyle Vogt e Daniel Kan, renunciaram a seus cargos de CEOs; 
  • A empresa formulou então um plano de reestruturação, o que ocasionou a demissão de nove executivos e outros 900 funcionários; 
  • Apesar do cenário, a montadora já afirmou em diversas ocasiões que continua comprometida com a divisão e seu projeto de direção autônoma. 

Leia mais! 

No novo comunicado, a CEO da GM, Mary Barra, reforçou que a montadora irá “reorientar e relançar a Cruise” e que a empresa “em breve” divulgará um cronograma para a retomada das operações.

publicidade

Ela explicou ainda que os gastos da Cruise este ano se concentrarão na retenção de talentos em software e engenharia — com os planos de expandir as operações de robotáxi para 20 cidades suspensos, a GM não irá mais gastar em veículos e pessoal de operações. 

A diretora finalizou pontuando que a empresa continuara cooperando com as investigações do governo. 

Cruise em crise 

De acordo com a Reuters, a Cruise queimou US$ 1,9 bilhão em dinheiro durante 2023 e registrou um prejuízo de US$ 2,7 bilhões, isso sem incluir os US$ 500 milhões em custos de reestruturação incorridos no quarto e último trimestre do ano (quando já estava sob investigação). 

O anúncio sobre novos cortes de gastos chega dois meses após a empresa divulgar, junto com plano de renovação, mais redução nos custos — vale destacar que, em novembro, quanto a GM anunciou esse corte de gastos, uma demissão em massa também ocorreu.

Recentemente, um relatório de revisão técnica da empresa Exponent, parte da investigação contra a Cruise, confirmou falhas nos robotáxis e criticou fortemente a liderança da divisão por sua resposta inadequada e falta de transparência em relação ao acidente sucedido. Atualmente, a empresa está em negociações com a Comissão de Serviços Públicos da Califórnia para estabelecer um valor e finalizar o processo sobre sua falha em divulgar detalhes do incidente.