Você sabe o que são chips de inteligência artificial? Além disso, qual a diferença para chips convencionais? O que eles são capazes de fazer e quais os seus diferentes usos? Continue a leitura e entenda todas essas questões sobre os revolucionários e também polêmicos chips de IA.

A AMD e a Intel já declararam que apostam nesses chips para PCs com IA. Essas duas gigantes querem desafiar a hegemonia dos chips fabricados pela Nvidia, dominante do mercado até então. Esses chips são apontados como a peça que falta para que os limites dos sistemas de infraestrutura de IA atinja o próximo nível, “quase” sem limites para continuar crescendo.

Leia Mais:

Com o avanço rápido da tecnologia no campo da inteligência artificial, surgiram chips de inteligência artificial para PC, mas o quê exatamente eles são? Como funcionam? E que vantagens eles oferecem em relação aos chips para PC comuns? Confira isso e muito mais a seguir.

publicidade

O que são chips de inteligência artificial?

Primeiramente, o que são? Chips de inteligência artificial são unidades centrais de processamento (em inglês, CPU) que possuem uma unidade de processamento dedicada às funções que uma IA possui, sem a necessidade de um sistema de nuvem. Assim, todos os processos são realizados dentro do dispositivo onde o chip está instalado, sem a necessidade de uma conexão externa.

Para que servem os chips de IA?

Como dito anteriormente, estes chips apresentaram as mais variadas aplicações, por exemplo, devolver os movimentos a pessoas com as mais diversas paralisias.

Em 2023, um homem chamado Keith Thomas sofreu um acidente em sua piscina, quebrando o pescoço e ficando tetraplégico. Realizaram uma cirurgia onde implantaram em seu cérebro microchips com uma IA que interpretava os impulsos neurais de seu cérebro e traduzia-os em comandos para seu sistema locomotor, ele recuperou seus movimentos, ou seja, os chips de IA devolveram os movimentos a este homem.

Porém, a conexão dos chips com o cérebro humano também levanta polêmica. Cientistas alertam para os projetos que objetivam o aprimoramento da mente baseado em IA. A psicóloga cognitiva Susan Schneider, comentando os investimentos da empresa Neuralink, startup de Elon Musk, declarou ao jornal Financial Times que isso pode significar “suicídio para a mente humana”. Isso porque uma integração total pode significar que, em certo momento, a atividade neural humana seja afetada pela IA, “matando assim o indivíduo”.

IA está elevando o número de aplicações a cada dia (Imagem Freepik)


Outro uso seria reduzir os riscos de ter seus dados roubados usando IAs, isso se dá, pois como a IA está integrada no chip de processamento do seu dispositivo, não é necessário enviar tantos dados para a nuvem, fazendo com que eles estejam muito mais seguros, não sendo transportados por aí.

O iPhone X, por exemplo, já possui esta tecnologia integrada, possuindo até processamento de imagem alimentado por IA, fazendo com que a placa gráfica possa trabalhar menos, aumentando o desempenho do dispositivo.

Que companhias o produzem, e o que podemos esperar delas?


Atualmente, várias empresas como as já citadas na matéria estão correndo atrás deste mercado, mas podemos destacar algumas delas como Nvidia, particularmente reconhecida como destaque nesse segmento. A AMD, importante produtora de chips convencionais, ao lado da Nvidia são as duas que dominam o mercado de semicondutores, outra empresa que busca conquistar este mercado é a Samsung Electronics, recebendo investimentos nesta área desde 2000.

A aplicação dos chips de IA tem crescido rapidamente, Ray Kurzweil, diretor de engenharia do Google, afirma que, até 2045, nosso cérebro pode estar funcionando de maneira similar à tecnologia em nuvem. Uma coisa é certa, o avanço tecnológico da IA deve acontecer de forma ordenada e segura, de forma que não percamos o controle sobre aquilo que criamos. E você, é claro, acompanhará toda essa evolução aqui, no Olhar Digital.