Habitada majoritariamente por cientistas hoje, a Antártida é o único continente do globo terrestre sem presença humana permanente. Mas ela já foi habitada por nossos antepassados em algum momento?

Leia mais:

A Antártica, uma vasta massa de terra no extremo sul do planeta, permaneceu inexplorada por seres humanos por milhões de anos, devido às condições climáticas extremamente adversas. A navegação polinésia, caracterizada por incríveis feitos na exploração dos mares, pode conter evidências de uma possível visita à Antártica.

Evidências de humanos da Antártida

Estudos indicam que os maori da Nova Zelândia podem ter tido conhecimento da região há centenas de anos, com relatos de viagens que datam de 1.400 anos atrás.

publicidade

Porém, os maori podem não terem sido os únicos a visitar o continente gelado. A proximidade geográfica entre a Península Antártica e a Terra do Fogo, na América do Sul, também suscita a possibilidade de visitas de povos sul-americanos ao continente gelado. Os yámana, habitantes da costa ao sul da América do Sul, surpreenderam os pesquisadores ao se descobrir que visitaram as Ilhas Malvinas durante o século XIV.

Homens Maori numa canoa
A Waka, a famosa canoa Maori (Imagem: Science Learning Hub/Reprodução)

No entanto, a verdadeira era da exploração e ocupação da Antártica começou nos séculos XIX e XX, com as expedições europeias. A chamada “Era Heroica da Exploração” testemunhou as façanhas de exploradores notáveis, como Roald Amundsen, Robert Falcon Scott e Ernest Shackleton, na corrida para alcançar o Polo Sul. Essas expedições foram marcadas por desafios extremos, sacrifícios e tragédias, simbolizando a determinação humana diante das adversidades.

O ano de 1959 marcou um ponto crucial na história da Antártida com a assinatura do Tratado Antártico. Este tratado estabeleceu a região ao sul de 60°S como uma zona politicamente neutra, proibindo reivindicações territoriais e o uso militar do continente. Além disso, o tratado dedicou-se à promoção da cooperação científica pacífica na região. As sete reivindicações territoriais existentes antes de 1959 foram reconhecidas, mas novas reivindicações foram proibidas.

A ocupação moderna da Antártida é caracterizada por pesquisas científicas e colaboração internacional. Embora não haja uma população nativa, a região abriga estações de pesquisa de diversos países, onde cientistas realizam estudos sobre a atmosfera, o clima, a vida marinha e os impactos das mudanças climáticas globais. A preservação ambiental tornou-se uma preocupação central, especialmente diante do aumento do turismo na região.

O desafio atual está em equilibrar a exploração científica com a preservação ambiental e a sustentabilidade. O Tratado Antártico continua a ser a pedra angular da governança na região, fornecendo um modelo para a gestão pacífica e cooperativa de um território internacional.