Astrônomos descobriram uma nova Super-Terra a cerca de 137 anos-luz de distância orbitando uma estrela anã vermelha, conhecidas por exibirem explosões extremamente poderosas.

Uma nova pesquisa publicada no Monthly Notices of the Royal Astronomical Society apresenta mais detalhes sobre a descoberta. 

Leia mais:

O que foi revelado sobre a nova Super-Terra?

  • Do tamanho da Terra, o planeta fica em uma zona habitável conservadora.
  • Sua órbita é mais estreita e leva apenas 19 dias para completar uma viagem ao redor da estrela anã.
  • A estrela TOI-715 é um pouco mais velha que o nosso Sol, com cerca de 6,6 bilhões de anos e, segundo os pesquisadores, apresenta um “baixo grau de atividade magnética” e ausência de brilho.
  • Vale ressaltar que ‘zona habitável’ é um termo que identifica planetas que podem ter água líquida.
  • Já a ‘zona habitável conservadora’ identifica uma região em torno de uma estrela onde um planeta recebe tanta insolação solar quanto a Terra (independente da distância).
  • A descoberta alimenta a possibilidade de encontrar outras formas de vida e de nos ensinar mais “sobre a formação planetária e a evolução pós-formação”, diz o estudo.
Ilustração mostra Super-Terra perto de estrela no espaço. (Imagem: NASA/JPL-Caltech )

O planeta pode ser habitável? 

Por enquanto ainda não há uma resposta clara. O que se sabe é que, como dito antes, o planeta fica em uma zona habitável conservadora. De qualquer forma, o sistema TOI-715 é um alvo atraente para estudos mais aprofundados e aguarda sua vez para ser examinado pelo JWST (Telescópio Espacial James Webb). 

publicidade

Os resultados podem ou não apoiarem a habitabilidade. Outro pequeno planeta também pode estar orbitando TOI-715, mas ainda são necessárias observações e acompanhamento para confirmá-lo.

O artigo foi publicado pela Universe Today.