Um asteroide com potencial destrutivo 5 vezes maior que o que atingiu a Rússia em 2013 está se aproximando da Terra — e tem uma pequena chance de atingir nosso planeta no final de fevereiro.

Embora um impacto seja uma possibilidade extremamente improvável, a aproximação desse asteroide pode nos dar uma maior compreensão sobre a importância do trabalho de monitoramento desses objetos próximos à Terra. Ao entendermos a ciência por trás da detecção, rastreamento e cálculo de riscos dessas rochas espaciais, veremos que não há razões para comemorar o fim do mundo e nem motivos para correr em pânico pelas ruas anunciando o apocalipse por conta da aproximação deste asteroide.

O chamado 2021 EU tem cerca de 28 metros e foi descoberto em março de 2021 pelo Pan-STARRS no Observatório de Haleakala, no Hawaii. Ele foi observado por apenas 16 noites, durante uma aproximação da Terra, e depois desapareceu na vasta escuridão do espaço. O pouco tempo de observação gera uma zona de incerteza muito grande. E, agora, com a sua reaproximação 3 anos depois, esperamos que novos dados afastem de vez qualquer mínima chance de impacto com nosso planeta.

A coluna Olhar Espacial é exibida toda sexta-feira durante o Olhar Digital News. Acompanhe!