Um trem que estava abandonado e foi transformado em hotel de luxo tem atraído interesse de turistas e entusiastas na África do Sul. O “hotel-trem” fica sobre a ponte do Rio Sabie, o que oferece proximidade segura à vida selvagem local.

Para quem tem pressa:

  • Um trem abandonado, na ponte sobre o Rio Sabie, foi transformado num hotel de luxo na África do Sul. O “hotel-trem” oferece ao hóspedes proximidade segura à vida selvagem local, bem como resgata a importância histórica dos trens para o acesso ao Parque Kruger;
  • O projeto manteve elementos Art Déco e evitou a estética colonial. O hotel proporciona aos hóspedes a experiência de acordar com vistas espetaculares da vida selvagem, através de suítes com janelas amplas;
  • O hotel não só oferece acomodações de luxo, mas também promove safáris guiados, enfatizando a importância do conhecimento local para enriquecer a experiência dos hóspedes, além de envolver a comunidade local na operação;
  • O compromisso do hotel com a sustentabilidade é evidente na gastronomia do hotel, que utiliza produtos locais e cultiva uma horta no local, transformando ingredientes simples em pratos extraordinários, sob a filosofia de que a “mãe natureza é a verdadeira artista”.

O CEO do Motsamayi Tourism Group (proprietário do hotel), Jerry Mabena, rememora, em entrevista à CNN, a importância histórica dos trens para o acesso ao Parque Kruger desde a década de 1920. A linha ferroviária original foi desativada na década de 1970, mas a ideia de restaurar a ponte para seu esplendor anterior emergiu em 2016, culminando na criação do hotel.

Leia mais:

De trem abandonado à hotel de luxo

Visão de cima de hotel de luxo construído em trem abandonado em ponte na África do Sul
(Imagem: Divulgação/Kruger Shalati)

A transformação dos vagões em acomodações modernas foi feita mantendo elementos Art Déco, evitando a estética colonial. Mabena destaca a importância de proporcionar aos hóspedes a experiência de acordar com vistas espetaculares da vida selvagem, graças às amplas janelas das suítes que oferecem vistas deslumbrantes do amanhecer e do rio Sabie.

publicidade

Além do conforto das suítes, muitos visitantes optam por explorar a vida selvagem mais de perto, em safáris guiados. O hotel se esforça para envolver a comunidade local, recrutando funcionários como Thuli Mnisi, uma guia sênior, que destaca a experiência única oferecida aos hóspedes em comparação a outras hospedagens no parque.

O Parque Nacional Kruger permite safáris autônomos, mas a presença de um guia, conforme explicado por Mnisi, enriquece significativamente a experiência. Ela garante avistamentos mais significativos de animais graças ao conhecimento especializado dos guias sobre habitats e comportamentos.

O compromisso do hotel com a sustentabilidade e a autenticidade se estende à gastronomia, com o cultivo de uma horta no local e o uso de produtos locais no restaurante do hotel. O chef Vusi Mbatha enfatiza a filosofia de transformar ingredientes simples em pratos extraordinários, celebrando a “mãe natureza como a verdadeira artista”.

Inaugurado em dezembro de 2020 após atrasos devido à Covid-19, o hotel agora acolhe hóspedes em sua quarta temporada de verão, com tarifas que incluem refeições, bebidas, safáris e transporte para o aeroporto. Além do hotel, o Motsamayi Tourism Group mantém viva a cultura dos trens históricos na região, possuindo também uma estação de trem próxima.