Um carro antigo até podia consumir muito combustível e as pessoas não se preocuparem muito com isso. Era um outro cenário, um contexto em que questões importantes hoje não eram cogitadas. Escassez de recursos naturais, alta de preços da gasolina, danos ao meio ambiente e outros fatores gritantes atualmente não estavam na pauta do dia.

Nos anos 70, o Brasil produzia carros esportivos potentes e beberrões. Entretanto, foi nessa década que a preocupação com o consumo de combustível começou. As crises do petróleo expuseram a vulnerabilidade dos sistemas energéticos e isso levou a um movimento mundial para desenvolver novas fontes de energia, incluindo o álcool combustível.

Vídeo relacionado

Leia mais:

Mas agora vamos voltar no tempo e conhecer mais sobre os carros que consumiam mais combustível nas décadas passadas. Uma época em que  o motor V8 tornou-se sinônimo de potência e desempenho. A chegada dos anos 70 marcou o auge desse tipo de motor.

publicidade

Mas atrelada à potência estavam as constantes paradas para abastecer o carro e isso não era um problema. Veja agora 5 exemplos de ‘beberrões’ que fazem jus à fama que têm, mas também são muito queridos pelos entusiastas, colecionadores e nostálgicos.

1- Ford F-1000 Super 3.6

Ford F-1000 Super 3.6, um modelo de carro antigo com alto consumo de combustível

O Ford F-1000 Super 3.6 tem um consumo de combustível de 8,8 km/l em cidade e 9,7 km/l em estrada. O modelo de 1993 (como o da foto) tem um consumo urbano de 5 km/l e um consumo rodoviário de 6,6 km/l. 

publicidade

O veículo tem um motor de 83 cv e uma velocidade máxima de 130 km/h. O modelo de 1993 tem uma velocidade máxima de 141 km/h e uma aceleração de 0-100 km/h em 22 segundos.

A Ford F-1000 Super 3.6 é uma caminhonete pesada (“Full Size”) produzida pela Ford Brasil entre 1979 e 1998. Em 1985, a Ford lançou a versão F-1000 SSS (Super Série Special) e a versão F-1000A com motor 3.6 a álcool de seis cilindros (115 cv). Possui um bom espaço interno e capacidade de bagagem. Tem direção hidráulica, rodas de liga leve, vidros e travas elétricas, estribo e engate.

publicidade

2- Dodge Charger R/T

Carro Dodge Charger RT

O Dodge Charger R/T 5.2 V8 de 1974 tem um consumo de combustível de 4 km/l em cidade e 7 km/l em estrada. A sua autonomia é de 248 km em cidade e 434 km em estrada.

O Dodge Charger R/T é um muscle car com um motor V8 que oferece até 215 cavalos de potência (a média entre os modelos é 210 cv). O R/T também tem freios atualizados, suspensão esportiva ajustada e um sistema de escapamento de alto desempenho.

O Charger R/T foi lançado em 1970 pela Chrysler e é derivado do Dodge Dart cupê. O Charger R/T era o modelo de maior vendagem da linha de Dodges V8 desde 1971 até 1978. 

3- Ford Galaxie Landau

Ford Landau, modelo de carro antigo com alto consumo de combustível

Um ícone dos anos 70 e 80 no Brasil, com um motor 5.0 V8.  A versão Galaxie Landau 5.0 V8 na cidade faz  3,9 km/l e na estrada faz: 6 km/l.

O Landau tem um tanque de combustível de 107 litros. Para ajudar no consumo e nas partidas a frio, pode adicionar cerca de 10% de gasolina a um tanque cheio. Tem uma velocidade máxima de 161 km/h e uma aceleração de 0-100 km/h em 15,3 segundos.

O Ford Landau é um carro de tamanho grande, fabricado no Brasil entre 1971 e 1983. O modelo é baseado no Ford Galaxie de 1966 e foi o primeiro carro de passeio produzido pela Ford no Brasil.

É um sedã grande com quatro portas e oferece espaço suficiente para toda a família. Apesar do alto desempenho, o Landau é um carro antigo com consumo de combustível considerado um dos mais altos. O último Ford Galaxie Landau saiu da linha de montagem em fevereiro de 1983.

4- Ford Maverick

Carro modelo Maverick

O consumo de um Maverick Super Luxo Coupe 3.0 1973 era de cerca de 5 km/l na cidade e 6,5 km/l na estrada. O Maverick Super Luxo Sedan 5.0 V8 1975 tem um consumo urbano de 4 km/l e um consumo rodoviário de 5,5 km/l. 

O novo Maverick 2023 tem um consumo de 15,7 km/l na cidade e 13,6 km/l na estrada, com uma autonomia declarada de mais de 800 km. A Ford Maverick híbrida tem um consumo de 16 km/l.

O Ford Maverick foi lançado em 1969 e era um carro barato, confiável e fácil de manter. O seu estilo foi inspirado no Mustang, mas suavizado. 

O Maverick GT de 1975 era um muscle car com um motor V8 302″ de 197 cavalos de potência e 39,5 Kgfm de torque. O Maverick GT foi um dos carros mais icônicos dos anos 70 e rivalizou com o Chevrolet Opala. 

A produção do Maverick foi encerrada em abril de 1979, com cerca de 10.500 unidades do Maverick GT, 85.600 modelos cupês e 11.900 modelos com quatro portas.  Os Mavericks GT V8 mais raros de se encontrar hoje em dia são os que vinham com 03 marchas na coluna de direção.

5- Chevrolet Veraneio

Modelo de carro Ford Veraneio

Outro carro antigo que gastava muito combustível é a Chevrolet Veraneio. O consumo varia conforme o modelo. Uma Chevrolet Veraneio 4.3 1976 a gasolina tem consumo urbano de 4,5 km/l e consumo rodoviário de 6 km/l.

Já a Chevrolet Veraneio Custom 3.9 a diesel 1990 apresenta consumo de 9,5 km/l na cidade e consumo de 11 km/l na estrada.

O modelo Veraneio até o ano de 1974 tem um tanque de combustível com capacidade de 70 litros. Já os modelos de 1982 a 1986 (tanto a gasolina, como diesel) tem um tanque com capacidade para 88 litros. A autonomia urbana é de 315 km e a autonomia rodoviária é de 420 km

É um SUV produzido pela Chevrolet do Brasil entre 1964 e 1994. O carro foi desenhado por Luther Whitmore Stier, inspirado na Chevrolet Suburban norte-americana. A Veraneio tem altura de 1,748 m e um porta-malas de 450 litros.

Saudade não tem fim

Para completar a lista entre os modelos mais apreciados entre os beberrões, deixamos a menção saudosa a outro carro antigo famoso pelo alto consumo de combustível, mas amado por colecionadores. Como são veículos que acionam nossa memória afetiva, vou finalizar a lista com o Opala. Minha avó dirigia um e eu amava parar no posto e sentir aquele cheiro de gasolina que não existe mais!

Chevrolet Opala

Chevrolet Opala Diplomata 1980
Imagem: Divulgação/Chevrolet

O consumo médio de combustível do Opala é de 4,8 km/l de gasolina em ciclo urbano e 7,9 km/l na rodovia. O modelo Opala Comodoro 2.5 1987 a gasolina, consome 5,3 km/l na cidade e 8,3 km/l na estrada. 

Um modelo Opala De Luxo 3.8 1970 6 cilindros faz 6 km/litro na cidade e 8 km/litro na estrada com gasolina. O modelo Opala SS 1972 4.1 2p faz 5 km/l na cidade e 7,5 km/l da estrada.

Para medir o consumo de combustível do Opala, você pode dividir os quilômetros rodados pela quantidade de litros que foi abastecido. O consumo varia de acordo com a dirigibilidade.

O Chevrolet Opala é um automóvel de passeio desenvolvido e fabricado pela General Motors do Brasil, de 1968 a 1992. O Opala foi apresentado ao público brasileiro na edição de 1968 do Salão do Automóvel de São Paulo. 

O Opala foi um dos modelos mais potentes do mercado na época do seu lançamento. Tinha estilo bem europeu, confortável, espaçoso no banco traseiro e porta-malas e um ótimo desempenho, principalmente com o motor 4.1, de seis cilindros.

Com informações de fichas técnicas nos sites da Ford, Chevrolet e Stellantis (Dodge).