E mais uma montadora chinesa vai desembarcar no Brasil. Em encontro entre o presidente da GAC, Feng Xingya, e o vice-presidente do Brasil, Geraldo Alckmin, realizado em Pequim (China), a montadora anunciou investimentos no Brasil.

A empresa, uma das maiores do segmento no território chinês, disse que vai colocar US$ 1 bilhão (R$ 5,65 bilhões, na conversão direta) no País nos próximos cinco anos.

publicidade

Como rememora o InsideEVs, Alckmin foi à China para fortalecer laços com o país, especialmente com relação às cooperações econômica e comercial. A GAC reforçou interesse em crescer sua presença estratégica por aqui. A montadora já tem joint ventures com empresas, como Honda e Toyota.

publicidade
Presidente da GAC, Feng Xingya (esq), e o vice-presidente do Brasil, Geraldo Alckmin (dir), em encontro realizado em Pequim (China) (Imagem: Divulgação)

O que o investimento da GAC no Brasil vai contemplar

  • O valor proposto pela GAC contempla a criação de fábricas, centros de pesquisa e desenvolvimento (P&D), além de depósitos de peças de reposição;
  • Além de impulsionar a produção e venda de seus veículos em terras tupiniquins, a montadora visa contribuir para o desenvolvimento da cadeia automotiva brasileira;
  • Vale ressaltar que a GAC se junta a outras montadoras chinesas que já chegaram aqui, como BYD e GWM, e outras que estão prestes a desembarcar, como Neta e Zeekr, entre outras.

O presidente da empresa ressaltou compromisso com o mercado nacional e confiança em oferecer produtos confiáveis e de alta tecnologia a seus consumidores.

Leia mais:

publicidade

Expansão global agressiva

No momento, a GAC está em 165º lugar na Fortune Global 500, sendo reconhecida como uma das montadoras mais bem-vistas na China. Além disso, a companhia teve bons números em 2023: vendeu 2,52 milhões de veículos e faturou US$ 70 bilhões (R$ 395,96 bilhões).

Nessa toada, a montadora quer realizar grande expansão, visando produção e vendas totais a cima de 4,75 milhões de carros e receita de 1 trilhão de yuans (US$ 137 bilhões, ou 774,96 bilhões) até 2030.

publicidade

Um importante marco para a chinesa foi conquistada por sua divisão de elétricos, a GAC Aion. A companhia finalizou a construção de sua primeira fábrica fora da China. A planta foi construída na província de Rayong (Tailândia).

A inauguração do local se deu junto à segunda geração do GAC Aion V, primeiro modelo da GAC Aion pensado para o mercado global.

GAC Aion V está para ser lançado; será que vem para o Brasil? (Imagem: Divulgação)

O Aion V é um SUV que, segundo a montadora, tem autonomia de 750 km com uma só carga. O carregamento é rápido (370 km de autonomia com 15 minutos na tomada). O veículo tem sistema avançado de assistência à direção com LiDAR, radares e 11 câmeras, bem como recarga externa de até 7 kW. Em seu país natal, ele custará a partir de 149,8 mil yuans (R$ 115,6 mil), bom preço se comparado a outros EVs que estão em nosso mercado (isso se ele custar mais ou menos isso no Brasil – e se for vendido por aqui).

Ainda não há modelos confirmados para serem vendidos e fabricados no Brasil.