A crença em Deus, na Bíblia ou em qualquer doutrina é algo pessoal, e cada um tem o direito de decidir por si só no que acredita ou não. Existe um claro contraste entre eventos citados na Bíblia e descobertas feitas pela ciência ao longo dos anos que entram em contradição, contudo, enquanto muitas dessas ideias estavam além do conhecimento da época, surpreendentemente algumas descrições bíblicas anteciparam conceitos que a ciência só viria a compreender séculos depois.

Dentre as várias passagens bíblicas que refletem uma compreensão precursora de fenômenos naturais, destacam-se aquelas que tratam da forma da Terra, sua relação com o espaço, o ciclo da água, entre outros. Essas descrições não apenas anteciparam conceitos científicos, como a esfericidade da Terra e o ciclo hidrológico, mas também desafiaram as crenças predominantes de suas épocas, que muitas vezes viam o mundo de maneira mais literal e simplista.

publicidade

Leia também:

Neste texto, exploraremos algumas dessas passagens bíblicas que foram corroboradas pela ciência moderna, examinando como eram interpretadas na antiguidade em contraste com as interpretações contemporâneas. Essa análise não apenas ilustra a evolução do pensamento humano sobre o universo e sua operação, mas também ressalta a capacidade das narrativas religiosas de oferecer insights sobre o mundo natural que ecoam através dos séculos.

publicidade

Partes da Bíblia explicadas pela ciência

(Imagem: Shutterstock)

1. A Segunda Lei da Termodinâmica:

A Segunda Lei da Termodinâmica afirma que a entropia de um sistema isolado tende a aumentar com o tempo, ou seja, os sistemas naturais passam de estados ordenados a estados desordenados. Em Salmos 102:25-26, é dito: “Desde a antiguidade fundaste a terra, e os céus são obra das tuas mãos. Eles perecerão, mas tu permanecerás; todos eles envelhecerão como um vestido.”

Este versículo sugere que o universo está em um estado de desgaste e deterioração, o que é exatamente o que a Segunda Lei da Termodinâmica descreve. Na época em que esses textos foram escritos, as pessoas acreditavam em um universo imutável, mas essa visão foi desafiada por descobertas científicas que confirmaram a progressão natural da entropia.

publicidade

2. A Terra é redonda

Isaías 40:22 afirma: “Ele está sentado sobre o círculo da terra, e seus habitantes são como gafanhotos.” Esta passagem sugere que a Terra é esférica, um conceito que era contrário à crença predominante na época, que via a Terra como plana e sustentada por pilares ou criaturas mitológicas. A ideia de uma Terra redonda só foi amplamente aceita após as descobertas de cientistas como Aristóteles e, posteriormente, com as explorações de Marco Polo e Cristóvão Colombo.

3. O Núcleo do Planeta é Quente

Em Jó 28:5, lemos: “A terra, de onde provém o pão, é transformada em baixo como pelo fogo.” Esta referência da bíblia à Terra como sendo transformada “como pelo fogo” pode ser interpretada como uma alusão ao calor do núcleo terrestre, uma ideia que só foi confirmada pela ciência moderna através de estudos geológicos e sismológicos.

publicidade

4. A Terra flutua no espaço

Partes da Bíblia que a ciência explica
Imagem de Sergio Hernández por Pixabay

Jó 26:7 diz: “Ele estende o norte sobre o vazio e suspende a terra sobre o nada.” Esta passagem sugere que a Terra está suspensa no espaço vazio, uma concepção que contrasta com as crenças antigas de que a Terra estava apoiada em algo sólido, como uma tartaruga ou um ser mítico. A noção moderna de que a Terra flutua no espaço só foi totalmente compreendida com os avanços da física e da astronomia.

5. Ciclo Hidrológico

O ciclo da água, que envolve a evaporação, condensação e precipitação, é descrito em várias passagens. Em Eclesiastes 1:7, está escrito: “Todos os rios correm para o mar, mas o mar não se enche. Para o lugar de onde os rios vêm, para lá eles retornam para correrem novamente.” Em Jó 36:27-28, é mencionado: “Ele atrai as gotas de água, que destilam como chuva para os rios; as nuvens derramam sua umidade e chuvas abundantes caem sobre os homens.” Essas descrições da bíblia antecipam o ciclo hidrológico que só foi compreendido pela ciência há cerca de 400 anos.

6. A Arca de Noé teria funcionado

A descrição da Arca de Noé em Gênesis 6:13-22, com medidas específicas de comprimento, largura e altura, foi confirmada por cálculos modernos. Física realizada por estudantes da Universidade de Leicester em 2014 demonstrou que a Arca, com suas dimensões, teria flutuado e transportado com segurança os pares de espécies através do dilúvio.

7. O Universo é feito de partículas invisíveis

Hebreus 11:3 afirma: “Pela fé, entendemos que os mundos foram criados pela palavra de Deus, de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é visível.” Esta passagem sugere que a matéria e a energia são formadas a partir de elementos invisíveis, um conceito que se alinha com a teoria atômica moderna, onde átomos, compostos de prótons, nêutrons e elétrons, são invisíveis a olho nu.

8. Davi poderia ter derrotado Golias

Davi usou uma funda e uma pedra para derrotar Golias (Imagem: Shutterstock)

A história de Davi e Golias em 1 Samuel 17 descreve como um jovem pastor derrotou um gigante. Além da precisão do lançamento da funda, há evidências que sugerem que Golias poderia ter sofrido de acromegalia, uma condição que afeta a visão periférica, facilitando a surpresa e o ataque de Davi. A pedra usada por Davi, composta de bário sulfato, é extremamente densa, aumentando a probabilidade de causar danos significativos.

9. Montanhas Submarinas

Salmo 104:6 menciona: “Tu cobres a terra com as profundezas como com um vestido; as águas estavam sobre os montes.” Este versículo descreve montanhas submarinas, conhecidas como seamounts, que são montanhas que se elevam do fundo do oceano, mas não chegam à superfície da água. Elas são geralmente formadas por atividade vulcânica e podem ser encontradas em todas as bacias oceânicas do mundo, mas para a época, eram um conceito desconhecido até que a geologia moderna as identificasse.

10. O sol parou de se mover

Em Josué 10:12-13, lemos: “Então falou Josué ao Senhor, no dia em que o Senhor entregou os amorreus aos filhos de Israel, e disse na presença de Israel: ‘Sol, detém-te em Gibeão; e tu, lua, no vale de Aijalom.’ E o sol se deteve, e a lua parou, até que o povo se vingou dos seus inimigos.” Esta passagem é frequentemente interpretada como um evento de eclipse ou uma interrupção astronômica, que foi datada para o dia 30 de outubro de 1207 a.C., com base em cálculos astronômicos modernos.

Esses exemplos demonstram como a Bíblia, muitas vezes criticada por não ser científica, contém passagens que se alinham surpreendentemente com descobertas modernas da ciência. Isso sugere que, ao longo da história, textos antigos poderiam ter antecipado conceitos científicos que só mais tarde foram plenamente compreendidos pela humanidade. Essa interseção entre fé e ciência continua a inspirar debate e pesquisa, destacando a complexidade e profundidade das antigas escrituras.