Chuva de meteoros

Cometa Halley provoca chuva de meteoros essa semana; saiba onde ver

Vinicius Szafran, editado por Matheus Luque 22/10/2019 17h10
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Chuva de meteoros orionídeos acompanha a passagem do famoso cometa, visto pela última vez em 1986

Na madrugada desta terça-feira (22), o céu noturno será iluminado com a presença da chuva de meteoros orionídeos. Pedaços de rocha e gelo da cauda do Cometa Halley cruzarão o céu e poderão ser observados a olho nu em todas as regiões do Brasil. 


Essa chuva de meteoros ocorre anualmente, mas não virá diretamente da Constelação de Órion. De acordo com o professor Roberto da Costa, do departamento de astronomia da USP, em entrevista ao R7, "o nome é dado porque ao observar o céu os meteoros parecem vir daquela direção." O Cometa Halley, no entanto, só se aproxima da Terra a cada 75 anos, tendo sido visto pela última vez em 1986, e com a próxima passagem prevista para 2061.

Para se observar o fenômeno, é necessário um local com pouca iluminação artificial, como no interior. Grandes cidades não são recomendadas, devido à iluminação de ruas e casas. O evento surgirá como riscos de luz no céu noturno, segundo o professor. Para localizá-lo, basta encontrar as Três Marias, que fazem parte da constelação de Orion e são facilmente reconhecidas.

Apesar do pico de observação ser nesta semana, o fenômeno ocorre até o início de Novembro. O melhor horário é após a meia noite. Em Maio de 2020, uma chuva de meteoros da constelação de Aquário também será visível. Reprodução/Getty Images

Os meteoros são grandes pedaços de rocha que entram na atmosfera terrestre em alta velocidade, e em seguida entram em combustão. A quantidade de meteoros diminui com o tempo e, em seu pico, são visíveis até 25 deles cruzando o céu por hora.

A primeira aparição do Cometa Halley foi prevista pelo astrônomo britânico Edmond Halley, que calculou que o corpo celeste passaria pela Terra em 1758. Ele também descobriu que os trânsitos de Vênus e Mercúrio através do Sol poderiam ser utilizados para calcular o tamanho do Sistema Solar.

"A observação da chuva de meteoro é completamente segura. Os fragmentos são de poucos centímetros e queimam ao entrar na atmosfera, a pelo menos 40 Km do nível do mar" afirma Roberto da Costa. 

Fonte: Forbes.com

Brasil Astronomia Orion Estrelas meteoro Galáxia Sistema Solar astrônomos
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você