Estagiária da Nasa descobre aurora inédita no céu da Noruega

Jovem ligou a descoberta a uma compressão no campo magnético da Terra; vídeo mostra movimentação incomum do fenômeno

Fabrício Filho, editado por Matheus Luque 27/12/2019 09h15
Estrela cadente
A A A

A estudante de física Jennifer Briggs, da Universidade Pepperdine, Califórnia, descobriu um recuo incomum no campo magnético da Terra, e ligou o acontecimento à aparição de uma aurora nunca vista antes. Esta é a primeira vez que pesquisadores observam um fenômeno deste tipo originado por uma compressão no campo magnético do planeta. 


Em circunstâncias normais, as auroras são vistas no céu quando muitas partículas de alta energia do Sol, chamadas de vento solar, inundam a Terra. No entanto, os cientistas não encontraram nenhuma atividade incomum ou intensificada que pudesse levar a tal resultado. 

Os pesquisadores ainda não sabem ao certo por que a crise magnética aconteceu, mas acreditam que uma tempestade sem precedentes na região onde o campo magnético encontra partículas do Sol possa ser a causa do fenômeno. Ainda assim, mesmo que a hipótese seja verdadeira, não se sabe de onde a tempestade veio e o que a causou. 

A estudante realizou a descoberta por acaso, ao identificar a aurora incomum em imagens do céu de Svalbard, na Noruega, perto do Círculo Polar Ártico. "Você pode imaginar alguém perfurando o campo magnético da Terra", disse Briggs. "Houve uma compressão massiva, mas localizada". Um vídeo divulgado pela Nasa mostra a aurora se contorcendo em padrões atípicos. 

Via: Business Insider

Nasa Terra campo magnético cientistas planeta terra aurora
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você