Covid-19: Fiocruz e AstraZeneca assinam acordo para produção de vacina

Documento garante transferência de tecnologia e 100 milhões de doses contra a doença; R$ 522 milhões devem ser investidos na unidade produtora de imunizantes

Guilherme Preta, editado por Fabiana Rolfini 03/08/2020 09h16
Vacina
A A A

Na última sexta-feira (31), a Fiocruz, do Ministério da Saúde, e a AstraZeneca assinaram um acordo para a transferência de tecnologia e produção de 100 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela empresa e a Universidade de Oxford. É previsto um investimento de R$ 522 milhões na infraestrutura de Bio-Manguinhos, unidade produtora de imunizantes.


“Demos mais um passo importante para a formalização do acordo entre os laboratórios. Essa ação do governo federal significa um avanço para o desenvolvimento de tecnologia nacional e de proteção da população brasileira”, destacou a diretora de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, Camile Giaretta.

O acordo prevê que, caso se prove eficaz e segura, a vacina seja produzida no Brasil a partir de dezembro. Nos primeiros dois meses, são esperadas 30 milhões de doses, enquanto mais 70 milhões de imunizantes estão previstos para o primeiro semestre de 2021.

Além disso, a Fiocruz recebeu informações técnicas necessárias para definir os equipamentos necessários para a produção da vacina da AstraZeneca. Com isso, a instituição estará à disposição para a produção da vacina, aumentando a capacidade de fornecer a imunidade aos brasileiros.

ReproduçãoAcordo garante produção de vacina desenvolvida pela Oxford no Brasil. Foto: University of Oxford via AP

Por fim, foi estabelecido um comitê de acompanhamento técnico-científico associado às vacinas para o novo coronavírus. A coordenação ficou por conta de Marco Krieger, vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz, e conta com a participação de especialistas da USP, da UFRJ e da UFG.

Rússia pode iniciar produção de vacina em outubro

Na corrida global para garantir doses de vacinas contra o coronavírus, a Rússia anunciou no sábado (1º) que planeja iniciar a vacinação em massa já em outubro. Com o comunicado, realizado pelo ministro da Saúde, Mikhail Murashko, a Rússia pode se tornar o primeiro país a iniciar uma campanha de imunização da população contra o vírus Sars-Cov-2.

Segundo o ministro, o Centro Nacional de Pesquisa para Epidemiologia e Microbiologia Gamalei finalizou os testes clínicos e está cuidando das documentações para dar início à campanha de vacinação. De acordo com a imprensa internacional, profissionais de saúde e professores devem compor o primeiro grupo a ser imunizado.

Via: Folhapress


Confira em tempo real a COVID-19 no Brasil:



Brasil vacinação vacina coronavirus covid19 pandemia fiocruz Universidade de Oxford
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar a extensão Olhar Digital Ofertas em seu navegador!.

Recomendados pra você