Covid-19: média de mortes em SP é a menor desde maio

Ocupação dos leitos de UTI também é a menor desde o início da pandemia, com índices de 46,3% na capital e 45,3% na Grande SP; estado deve começar a vacinar profissionais da saúde em dezembro

Davi Medeiros, editado por Cesar Schaeffer 25/09/2020 17h15
UTI, Covid-19
A A A

A média diária de mortes por Covid-19 em São Paulo caiu para 158 na última semana, atingindo o menor patamar desde maio. Em relação à semana anterior, a queda foi de aproximadamente 14%. O número de casos diários também registrou diminuição de 2%, com média de 1.110 diagnósticos por dia. 


A semana foi marcada também por recordes negativos em relação às internações em UTIs. Nesta sexta-feira (25), a taxa de ocupação dos leitos foi a menor desde o início do Plano SP de enfrentamento à pandemia, chegando a 46,3% na capital e a 45,3% na Grande São Paulo. 

Os números foram anunciados durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do estado, e publicados no jornal Folha de S. Paulo. Graças ao cenário otimista, o governador João Doria (PSDB) anunciou que o hospital de campanha do Ibirapuera será inutilizado a partir da próxima quarta-feira (30).

Ainda de acordo com Doria, o estado deve começar a vacinar grupos de profissionais da saúde na segunda quinzena de dezembro. O governador se refere à vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac Biotech

Reprodução

O governador João Doria (à dir.) acompanhado do prefeito Bruno Covas (à esq.) em coletiva de imprensa sobre o novo coronavírus. Imagem: Governo de SP

Mais cedo nesta semana, Doria anunciou que São Paulo vai receber 5 milhões de doses da vacina em outubro, e 46 milhões até dezembro. O imunizante ficará envasado e pronto para aplicação até que ele seja aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

Esta, por sua vez, declarou na quarta-feira (23) que vai autorizar a ampliação da última etapa de testes de 9.000 para 13 mil voluntários. Os centros de pesquisa que recebem os ensaios clínicos também passarão de 12 para 16, com o acréscimo das cidades de Barretos (SP), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT) e Pelotas (RS).

De acordo com o diretor do Butantan, Dimas Covas, essa ampliação ajuda na obtenção dos resultados esperados, e, se tudo ocorrer como o previsto, os primeiros resultados devem ser divulgados no dia 15 de outubro. 

Seguindo esse cronograma, a vacina poderá ser encaminhada para aprovação da Anvisa em novembro, possibilitando, assim, que o início de sua aplicação aconteça em dezembro. 

Via: Folha de S. Paulo 


Confira em tempo real a COVID-19 no Brasil:



Governo de São Paulo São Paulo João Doria coronavirus covid19 pandemia
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você