Vacina chinesa CoronaVac é segura, aponta estudo com 50 mil pessoas

Imunizante chinês não apresenta reações adversas graves; dos voluntários, 94,7% não tiveram reações adversas

Nina Gattis, editado por Cesar Schaeffer 23/09/2020 15h09
sinovac, coronavac
A A A

Nesta quarta-feira (23), o governador de São Paulo João Doria anunciou os resultados de um levantamento feito com 50.027 voluntários na China, indicando que a vacina CoronaVac, a ser produzida no Brasil pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac, é segura e não apresenta reações adversas significativas. Do total de pessoas que participaram do estudo, 94,7% não tiveram reações adversas ao imunizante.


Os 5,3% de voluntários restantes apresentaram reações adversas de grau baixo, como dor no local da aplicação, febre moderada e perda de apetite. "Esses resultados comprovam que a CoronaVac tem um excelente perfil de segurança. Comprovam também a manifestação feita pela Organização Mundial de Saúde há duas semanas, indicando a CoronaVac como uma das oito mais promissoras vacinas em desenvolvimento, no seu estágio final, em todo o mundo", afirmou Doria.

Reprodução

O governador João Doria aponta a CoronaVac como um dos imunizantes promissores contra o coronavírus. Imagem: Governo de São Paulo/Divulgação

Na China, os testes iniciais com crianças e idosos começaram recentemente. Para quem tem mais de 60 anos, o imunizante foi administrado a 422 pessoas, entre as quais os resultados apontaram 97% de eficácia. Já quanto às crianças, foram 552 aplicações em voluntários de 3 a 17 anos. Por ora, os resultados dessa faixa etária ainda não foram divulgados.

A CoronaVac também está na fase 3 de ensaios clínicos no Brasil, onde desde julho a vacina já foi aplicada em 5,6 mil voluntários, nenhum com reação adversa grave ao imunizante. As pessoas que estão recendo a dose da CoronaVac no país estão sendo acompanhadas por 12 Centros de Pesquisa distribuídos em cinco estados e no Distrito Federal.

"A segurança e eficácia são dois dos principais fatores para comprovar se uma vacina está pronta para uso emergencial na população. Estamos muito otimistas com os resultados que a Coronavac apresentou até o momento. Isso mostra que o Butantan e a Sinovac estão no caminho certo para a produção de um imunizante contra o coronavírus", contou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

CoronaVac no Brasil

A expectativa é que, até dezembro, o Instituto Butantan receba 46 milhões de doses do imunizante, das quais seis milhões já estarão prontas para serem aplicadas. As demais 40 milhões serão formuladas e envasadas assim que chegarem ao Brasil.

Outras 55 milhões de doses da CoronaVac também estão programadas para serem distribuídas no Brasil já no primeiro semestre de 2021.


Confira em tempo real a COVID-19 no Brasil:



Brasil China vacina coronavirus covid19
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você