HD x SSD: as diferenças e vantagens de cada tecnologia

Ao procurar colocar mais espaço de armazenamento ou até mesmo ao montar o seu computador, você deve optar entre um HD convencional (disco rígido) ou um SSD (disco sólido). Apesar das duas tecnologias servirem para o mesmo fim, elas funcionam de formas bem diferentes.

Para te ajudar a entender as capacidades e limitações do HD e do SSD, o Olhar Digital explica como estas tecnologias funcionam, as suas diferenças, vantagens e desvantagens. Confira abaixo:

O HD convencional

Esta tecnologia começou a ser desenvolvida em torno dos anos 50, porém ela só chegou a forma em que conhecemos hoje no início da década de 80 com a popularização dos computadores e os drives de 3,5 polegadas para computadores, ou 2,5 polegadas para notebooks. Ao longo dos tempos, a tecnologia recebeu algumas mudanças, como a troca dos cabos IDE para o SATA e outras melhorias.

Reprodução

Em sua composição, o HD conta com discos móveis para armazenar os seus dados. Enquanto o seu revestimento é de alumínio, os dados ficam armazenados em uma parte composta de material magnético. A realização da leitura e escrita de dados nele é feita por cabeçotes, que possuem braços para acessar as partes que necessitam.

Vantagens

  • Menor preço – Por ser uma tecnologia mais antiga e já estar presente em nossos primeiros computadores, os HDs convencionais são mais baratos, mesmo oferecendo um espaço de armazenamento maior;
  • Maior capacidade de armazenamento – Os HDs são facilmente encontrados com tamanhos superiores a 1TB, trazendo inúmeras opções de espaço para o seu armazenamento de arquivos.

Desvantagens

  • Tempo de leitura e escrita menor – Devido a ter um funcionamento mecânico, o tempo que ele leva para acessar ou modificar um dado é bem maior em comparação ao SSD. A sua velocidade de leitura e gravação de dados pode variar entre 50 à 120 MB/s;
  • Ruído – Graças ao processo de leitura de discos ser feito por cabeçotes, é possível escutar o barulho de um HD tendo alguma informação sendo acessada;
  • Frágil – Por possuir discos móveis e que são acessados por um cabeçote, se você fizer um movimento brusco durante esta ação, o HD pode ser facilmente danificado tendo os seus dados corrompidos. Além disto, ele é suscetível a perder dados em casos de interferências magnéticas.

O SSD

As tecnologias que compõe o SSD começaram a surgir na década de 70, mas apenas no fim dos anos 2000 é que o SSD começou a aparecer da forma que nós conhecemos hoje. Para a sua conexão, ele utiliza cabos SATA ou conectores PCIe que variam de acordo com seu fabricante.

Reprodução

Diferente do que ocorre no HD convencional, o SSD utiliza memórias Flash para fazer o armazenamento de seus dados, e só vem no tamanho de 2,5 polegadas podendo ser instalado em computadores e notebooks.

Vantagens

  • Velocidade – O SSD alcança velocidades entre 200MB/s à 500MB/s, que garantem mais velocidade para iniciar um sistema operacional ou abrir programas e arquivos em comparação ao HD convencional;
  • Não faz barulho – Como o seu funcionamento não envolve nada mecânico, apenas o acesso as memórias Flash, não é possível escutar nenhum som vindo dele;
  • Mais resistente – Por não possuir discos móveis como o HD, o SSD dificilmente sofrerá algum dano ou perda por conta de ser movimentado. Além disto, ele não sofre possíveis perdas ou corrupção de arquivos por interferências magnéticas;
  • Baixo consumo de energia – O SSD chega a gastar duas vezes menos energia que um HD convencional.

Desvantagens

  • Preço caro – Mesmo sendo vendido com espaços de armazenamento menor do que um HD convencional, o SSD ainda sai mais caro;
  • Vida útil menor – Apesar de eles serem mais resistentes fisicamente, cada gravação feita no SSD gasta a sua cédula tirando um pouco de sua capacidade de segurar cargas elétricas;
  • Pouco espaço de armazenamento – A maioria dos SSDs vendidos possuem entre 120 à 240 GB de espaço. Apesar de já existirem opções com alguns terabytes de espaço, o seu preço tende a ser inacessível para muitas pessoas.

SSD dura pouco?

Quando os SSDs foram lançados, muita gente ficou receosa de obter a nova tecnologia devido a um rumor que eles teriam pouco tempo de vida útil. Na verdade, o SSD possui uma vida útil menor que um HD convencional, mas isto não significa que ele durará pouco.

Em um teste feito pelo site TechReport, foi concluído que os SSDs aguentam cerca de 700TB de informação antes de começarem a apresentar defeitos, e ainda tiveram dois dispositivos que passaram a marca de 1 petabyte. A média para o uso comum de um SSD gira em torno de 20TB por ano, sendo assim, isso quer dizer que o seu SSD funcionará por um bom tempo até ser necessária a sua troca.

Devo trocar o meu HD por um SSD

Com todas as vantagens que um SSD oferece, se você tiver a possibilidade de fazer o investimento em um deles, o seu computador poderá lhe oferecer uma performance bem superior à atual. Ao instalar o Windows em um deles, por exemplo, você conseguirá iniciar o sistema em questão de segundos.

Ainda assim, você deve manter um HD convencional apenas para fazer o armazenamento de arquivos ou programas que sejam menos importantes, a fim de prolongar a vida útil do SSD.

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ