Amazon ajusta algoritmo de pesquisa para priorizar os próprios produtos

Segundo artigo do The Wall Street Journal, empresa fez mudanças nos parâmetros do mecanismo de busca para que produtos da própria marca e o mais lucrativos sejam priorizados nos resultados

Bruna Lima, editado por Liliane Nakagawa 17/09/2019 13h07
Amazon
A A A

Segundo o The Wall Street Journal, a Amazon vem fazendo, desde o ano passado, alterações em seus algoritmos de busca para priorizar sua lucratividade sobre a relevância, de acordo com o The Wall Street Journal. Essas mudanças foram estimuladas pelas demandas das divisões de varejo e da equipe de marcas próprias da Amazon, e segundo o veículo têm o efeito de frequentemente elevar os próprios produtos da empresa nas listagens de busca.


Para evitar preocupações antitruste a Amazon não impulsiona diretamente os produtos com base em sua rentabilidade, de acordo com a reportagem. Em vez disso, o The Wall Street Journal afirma que a empresa modifica outros fatores que seu mecanismo de pesquisa pode considerar, e que coletivamente têm o efeito de elevar produtos mais rentáveis.

A empresa inicialmente negou a prática, dizendo: "Não alteramos os critérios que usamos para classificar os resultados da pesquisa para incluir lucratividade". Isso não exclui necessariamente a possibilidade de que a Amazon possa ter alterado critérios em relação aos aspectos relacionados à lucratividade sem aumentar diretamente a lucratividade. Posteriormente a gigante do varejo emitiu uma declaração mais contundente, afirmando que: "O The Wall Street Journal está errado" e que a história "não condiz com os fatos".

Um porta-voz da Amazon disse que a empresa analisa "várias métricas" ao testar novos recursos, "incluindo lucratividade a longo prazo, para ver como isso afeta a experiência do cliente e nossos negócios, como qualquer loja racional faria, mas não fazemos decisões com base nessa métrica".

Embora os gadgets fabricados na Amazon, como o Kindle e o Echo, sejam seus produtos mais conhecidos, a empresa vem expandindo rapidamente suas ofertas de marcas próprias nos últimos anos. Existem dezenas delas, mas até agora as vendas aparentemente foram fracas, e a Amazon falhou em grande parte além dos bens básicos, como as baterias.

Ajustar seu algoritmo de busca para favorecer seus produtos poderia ajuda a Amazon a expandir as vendas desses produtos. Conforme o The Wall Street Journal relata, a maioria dos cliques vem da primeira página dos resultados de pesquisa, sendo a maioria apenas nas primeiras linhas. 

Via: The Verge

e-commerce Amazon comércio eletrônico Algoritmo e-commerce varejo
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você