Após ataque hacker, Judiciário anuncia comitê de segurança digital

Ministro Luiz Fux, presidente do STF, reforçou a importância de investir em segurança digital nos sistemas eletrônicos da Justiça; 12 mil processos deixaram de ser julgados devido à invasão ao STJ

Davi Medeiros, editado por Wellington Arruda 10/11/2020 11h30
STF
A A A

Em resposta ao ataque hacker sofrido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) na última terça-feira (3), o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) estuda a implementação de um comitê cibernético para monitorar a segurança dos sistemas eletrônicos dos tribunais.


O anúncio foi feito pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, nesta segunda-feira (9). O ministro afirmou que ainda discute o modelo do comitê com assessores, e que a iniciativa será formalizada em reunião do CNJ nesta terça-feira (10).

Fux reverberou a opinião de especialistas ao indicar que o evento da última semana mostrou a urgência de uma preocupação maior, por parte do governo, com a segurança digital. Ele disse ter ajuda do ministro Humberto Martins, presidente do STJ, para se debruçar sobre o caso e pensar em futuras medidas de proteção.

"Nós vamos criar um Comitê Cibernético de Proteção à Justiça Digital do Poder Judiciário, com parceria de todas as entidades que têm expertise sobre esse tema", afirmou. "Então, todas as entidades que fizeram parceria com o ministro Humberto Martins farão com o CNJ".

Reprodução

Ministro Luiz Fux reforçou a importância da segurança digital nos sistemas eletrônicos do Judiciário. Imagem: Nelson Jr./SCO/STF

Julgamentos por videoconferência

A fala de Fux ocorreu durante sessão online que discutia o projeto "Juízo 100% Digital", que prevê a realização de todos os atos processuais por meio eletrônico e de forma remota. Isso inclui a possibilidade (facultativa) de julgamentos e audiências feitos por videoconferência, ficando a cargo de cada tribunal decidir se adota o sistema.

Naturalmente, este é mais um motivo para o investimento em segurança digital. Estima-se que a interdição do STJ por conta do ataque tenha impossibilitado o julgamento de 12 mil processos.

Na última quinta-feira (5), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou no Twitter que a Polícia Federal já identificou o hacker responsável pela invasão. "Já descobriram quem é o 'hackeador' (sic). Já descobriram? Pô, o cara hackeou e não conseguiu ficar aí duas horas escondido", disse.

A informação foi confirmada no dia seguinte à TV Globo pelo delegado Rolando Alexandre de Souza, diretor-geral da Polícia Federal. Segundo Bolsonaro, Rolando foi elogiado por Humberto Martins por seu desempenho à frente do caso.

Em nota emitida na última semana, a Polícia Federal diz avaliar a extensão do ocorrido, além de buscar restabelecer a rede por meio de diligências adotadas com a participação de peritos do STJ.

 

Fonte: Globo

Hackers stf segurança cibernética segurança da informação STJ
Assinar newsletter
Assine nossas newsletters e receba conteúdos em primeira mão
enviando dados - aguarde...
Parabéns! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Atenção: Em instantes você receberá um email de confirmação da assinatura. Para efetivá-la, clique no link de confirmação que você receberá. Verifique também sua caixa de SPAM, pois por se tratar de um email automático, seu servidor de emails poderá identificar incorretamente a mensagem como não solicitada.
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar a extensão Olhar Digital Ofertas em seu navegador!.

Recomendados pra você