Facebook tenta explicar que sua inteligência artificial não é a Skynet

Na palavra do próprio executivo do Facebook Yann LeCun, a rede social quer mostrar às pessoas que a inteligência artificial não é uma mágica, nem um perigo propagado no cinema. A empresa está lançando uma série de vídeos explicando a inteligência artificial e mostrando como ela está presente na vida das pessoas.

"Isto não é O Exterminador do Futuro. É tecnologia real que é útil", diz LeCun.

A inteligência artificial está presente em muitos processos comuns que os usuários costumam realizar na internet, como pesquisar música por trecho, traduzir um documento, marcar amigos em fotos e, é claro, elaborar o conteúdo do feed do Facebook.

LeCun e Joaquín Candela, diretor de aprendizagem de máquinas aplicadas do Facebook, escreveram que a inteligência artificial da rede social e os algoritmos usam técnicas emprestadas do cérebro humano, como a aprendizagem e o reconhecimento.

Em um dos vídeos, LeCun conta que para que um computador possa diferenciar a imagem de um carro da de um cão ele precisa de um algoritmo de aprendizagem, o que exige milhões de amostras de imagens de carros e de cães para que ele possa ter a capacidade de generalizar os conteúdos. Ele disse ainda que o Facebook utiliza a inteligência artificial para interpretar imagens e fotos para usuários cegos.

Ao comentar sobre as polêmicas das notícias falsas no Facebook, os executivos disseram que a culpa é do conteúdo e não da tecnologia. Eles declaram que a inteligência artificial pode ser comparada com um oráculo imparcial, que pode trazer os fatos, mas não julgá-los. Entretanto, a equipe disse que a tecnologia pode ajudar a evitar essas fraudes, e o Facebook vem pesquisando sobre como aplicar seus algoritmos para evitar essas questões.

Via Engadget

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ