Operação fecha 'fazenda de cliques' com 400 iPhones e 350 mil chips de celular

Foi descoberta uma fazenda de cliques na Tailândia, responsável por fraudes em grande escala. A operação acabou prendendo três chineses que mantinham o sistema funcionando, composto com 500 smartphones, majoritariamente iPhones, e 350 mil chips de celular.

Os três homens presos são acusados de usar a parede de celulares conectados para inflar o número de cliques em anúncios do WeChat, o maior aplicativo de bate-papo da China, onde a prática de fraude com anúncios online é proibida, ainda que na Tailândia não haja uma regulamentação específica.

A polícia tailandesa decidiu invadir o recinto sob alegações de que havia imigrantes ilegais no espaço; foi quando eles encontraram os três chineses responsáveis pela operação fraudulenta, que devem ser deportados de volta para a China.

O WeChat é um aplicativo altamente popular, mas seu problema com fraudes com anúncios já vem de longa data. Em 2015, em entrevista ao site AdAge, um diretor de uma empresa de marketing em Xangai contou que a ideia por trás deste tipo de fraude é para que “agências inescrupulosas enganem seus clientes falando ‘a campanha está funcionando, olha quantos fãs você conquistou’”. Com um volume alto de cliques, os anunciantes acreditam que seus anúncios estão dando mais resultado do que a realidade, pagando mais por resultados inferiores.

Ainda outros fatores complicadores. Como nota o Gizmodo, tanto a China quanto a Tailândia exigem identidade para a compra de chips de celular, o que dificultaria a aquisição de 350 mil unidades sem a realização de mais um crime.





RECOMENDADO PARA VOCÊ