WhatsApp quebrado golpe

Os 5 maiores golpes no WhatsApp em 2017

Juliana Américo 21/12/2017 15h20
Compartilhe com seus seguidores
A A A

O ano de 2017 foi marcado pela proliferação de fraudes online e uma consequente maior preocupação com a segurança de dados pessoais na internet. Ainda assim, os golpes que circularam via WhatsApp atraíram muita gente.


A pedido do Olhar Digital, as empresas de cibersegurança Avast, ESET, Kaspersky Lab e Norton listaram as ameaças que mais fizeram vítimas ao longo do ano e que também mais chamaram a atenção. Veja quais foram:

  1. FGTS
    No início do ano, o governo anunciou que os trabalhadores brasileiros poderiam sacar o dinheiro do FGTS de contas inativas. A alta demanda por esse tema e as dúvidas das pessoas fez com que surgissem diversos golpes envolvendo o FGTS.
    Em geral, os golpes prometiam conferir se o trabalhador estava na lista para receber o dinheiro e pediam informações pessoais da vítima, que podiam ser usadas desde a inscrição em serviços premium, até o saque do FGTS, uma vez que valores abaixo de R$ 1.500 não eram exigidos a identificação do correntista, somente o conhecimento da senha do Cartão Cidadão em terminal de autoatendimento.

    Reprodução

  2. Nespresso
    A promoção da máquina de Nespresso também foi um dos golpes que mais chamou atenção dos especialistas de segurança. A campanha falsa prometia o teste de uma cafeteira Nespresso de graça, desde que a pessoa enviasse a promoção para 10 de seus contatos ou 3 grupos do aplicativo. Ao completar essa etapa e clicar no link, o usuário era redirecionado para uma página no navegador do celular, que solicitava a instalação de softwares de origem duvidosa ou o registro em um serviço ‘premium’ de desconto.

    Reprodução

  3. Bônus de R$ 15
    O golpe prometia R$ 15 em crédito grátis para o celular, desde que a mensagem fosse compartilhada com os contatos. Depois disso, a vítima era redirecionada para sites falsos que forçavam a instalação de aplicativos ou era levada a informar seu número de celular, para que os criminosos pudessem realizar o cadastro em serviços premium – o redirecionamento mudava de acordo com o aparelho e localização geográfica da pessoa.

    Reprodução

  4. Promoções de viagens
    Assim como o caso do FGTS, surgiram ao longo do ano diversos golpes prometendo passagens aéreas gratuitas. Os criminosos criaram páginas semelhantes às de companhias aéreas e disseminavam o link através do WhatsApp e redes sociais. Ao clicar no link, a vítima era levada a preencher um cadastro informando dados pessoais e depois compartilhar com os contatos.

    Reprodução

  5. Cupons de desconto
    As campanhas que prometem cupons de descontos também estiveram em alta em 2017. Entre elas estão a que prometia R$ 70 de desconto no McDonald’s e a que oferecia um cupom de R$ 100 do Uber.
    No primeiro caso, a vítima é levada a compartilhar a mensagem, que contém um link que redireciona a pessoa para uma página de subscrição de serviço. Já o golpe no Uber, foi criada uma página falsa para roubar dados pessoais das vítimas, incluindo informações bancárias e dados do cartão de crédito. 

    Reprodução

    Reprodução
 
Vale lembrar que os internautas devem sempre estar atentos e evitar clicar em links ou baixar arquivos suspeitos, mesmo quando enviados por pessoas conhecidas. Além disso, quando a promoção envolver uma marca famosa, verifique se não existe alguma alteração no link, nome ou erros de digitação. 
Segurança Retrospectiva Whatsapp cibercrime
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você