PF prende grupo hacker por roubar R$ 10 milhões e lavar dinheiro com bitcoin

A Polícia Federal deu início nesta quarta-feira, 21, à Operação Código Reverso, que mira um grupo de cibercriminosos com conexões internacionais, que infectava computadores visando ter acesso a contas bancárias de vítimas para realização de transferências e pagamentos indevidos.

A Operação envolveu mais de 100 policiais cumprindo 43 mandados (sete de prisão preventiva, um de prisão temporária, 11 de intimação e 24 de busca e apreensão) em quatro estados: Tocantins, São Paulo, Goiás e Pernambuco. No total foram seis pessoas presas e duas seguem foragidas.

Segundo a PF, apenas nos últimos 9 meses, os cibercriminosos conseguiram gerar prejuízos na casa dos R$ 10 milhões, burlando mecanismos de segurança dos bancos para realizar suas operações fraudulentas.

A PF também nota que todos os membros da organização viviam uma vida luxuosa como resultado de suas atividades, utilizando empresas de fachada para ocultar a origem do patrimônio. Além disso, eles também investiram boa parte dos recursos roubados em bitcoins, o que a PF considera lavagem de dinheiro.

Também serão investigados empresários suspeitos de procurarem os cibercriminosos, que teriam buscado os serviços para obter vantagens comerciais ilícitas sobre a concorrência, além de receber descontos na quitação de impostos, pagamentos de contas e realização de compras por meio dos pagamentos indevidos realizados pelo grupo, que causavam prejuízos a milhares de contas bancárias de diversas instituições.

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ