Sistema anticópia do Google usado por Netflix e HBO é hackeado

Ataque consiste em introduzir condicões inesperadas em sistemas criptográficos (como o do DRM) para revelar estados internos e extrair informações.

Widevine é o DRM (Digital Rights Management, mais conhecido como sistema anticópia) do Google. Ele é usado por várias plataformas, como o Netflix ou a HBO, para proteger os direitos autorais de seu conteúdo. Bem, esse DRM no modo L3 (nível 3), que é o menos seguro, foi hackeado .

Foi o pesquisador de cibersegurança David Buchanan quem, através de sua conta no Twitter, comunicou a descoberta. De acordo com Buchanan, a implementação do protocolo de segurança Whitebox AES-128 do DRM é vulnerável a um ataque DFA (análise diferencial de falhas).

Basicamente, esse ataque consiste em introduzir condicões inesperadas em sistemas criptográficos (como o do DRM) para revelar estados internos e extrair informações. Nesse caso, foi  extraída a chave de criptografia.

 

Feito isso, você pode descriptografar o arquivo MPEG-CENC (MPEG Encryption Comum) dos conteúdos da Netflix ou HBO em um arquivo "ffmpeg" totalmente legível e armazenável, violando assim as medidas de segurança e permitindo acesso ao conteúdo. É isso que Buchanan diz, embora ele não tenha fornecido evidências convincentes disso.

Um erro que ‘não pode ser corrigido’

O Widevine usado no DRM, possui três níveis: L1, L2 e L3, que estão bem explicados nessa matéria.

Quando um smartphone ou dispositivo opta pelo Widevine L3, isso significa que ele não tem acesso ao hardware necessário para criptografar e processar os vídeos de maneira segura, para que os serviços de streaming reduzam a resolução da transmissão. O Widevine L1 é muito mais seguro do que o Widevine L3 e não foi danificado.

Reprodução

Buchanan considera que o Widevine L3 é "quebrado por padrão no nível de design", então "não pode ser corrigido". A segurança pode ser melhorada, diz ele, mas isso implicaria uma redução no desempenho do smartphone para executar, justamente, apps de serviço de streaming, como Netflix ou HBO.

Não sabemos se Buchanan informou sua descoberta ao Google antes de torná-la pública. A empresa, por sua vez, ainda não fez uma declaração sobre isso. Você pode verificar o nível de DRM que seu dispositivo Android utiliza baixando o aplicativo gratuito DRM Info.

-> Google: história, curiosidades e tudo que você precisa saber sobre o buscador!

Compras na internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar




RECOMENDADO PARA VOCÊ