Trump coloca culpa dos tiroteios nos Estados Unidos nos videogames

Presidente e republicanos apontam jogos eletrônicos violentos como uma das causas dos tiroteios que acontecem no país, como os dois ocorridos em menos de 24 horas nesse final de semana

Beatriz Trevisan, editado por Rafael Rigues 05/08/2019 08h23
Donald Trump
A A A

O presidente dos Estados Unidos (EUA) Donald Trump disse em um discurso nacional nesta segunda-feira (05/07) de manhã (horário local) que um dos motivos que causaram os tiroteios que ocorreram durante o fim de semana no país são os videogames violentos.


Em menos de 24 horas, dois massacres assolaram os EUA. O primeiro aconteceu no sábado, 03/07, de manhã (horário local) em um supermercado Walmart na cidade de El Paso, no Texas, quando 21 pessoas foram mortas e 26 ficaram feridas. Doze horas depois, outro atirador matou nove pessoas e feriu outras dezenas em um tiroteiro na madrugada de domingo, 04/07, na região central de Dayton, Ohio.

"Precisamos parar com a glorificação da violência em nossa sociedade", disse Trump. "Isso inclui os videogames horríveis e medonhos que agora são comuns. Hoje é muito fácil para jovens problemáticos cercar-se de uma cultura que celebra a violência. Temos que parar ou reduzir substancialmente isso", concluiu o presidente.

Os comentários de Trump sobre a relação entre tiroteios e videogames continuam uma tendência de posicionamento entre os principais líderes republicanos, que também colocam parte da culpa das tragédias no teor violento de alguns jogos eletrônicos. O deputado republicano e Líder da Minoria da Câmara do governo norte-americano, Kevin McCarthy, e o governador do Texas, Dan Patrick, também mencionaram os videogames como um fator que contribuí para tiroteios em massa.

Enquanto Patrick disse que o suspeito de ser o autor da tragédia de El Paso fez referência ao jogo de guerra Call of Duty em seu manifesto – um texto racista com discursos de ódio em que o criminoso "justifica" sua atitude –, McCarthy pressionou o governo para que fizesse algo sobre a indústria de videogames.

"Por quanto tempo vamos deixar, por exemplo, e ignorar [a culpa dos videogames], principalmente a nível federal, onde eles podem fazer algo sobre a indústria de videogames?", Disse McCarthy à Fox News neste final de semana. Embora estudos mostrem que não há relação entre violência da vida real e jogos eletrônicos mais agressivos, os videogames rotineiramente são apontados como grandes culpados em situações trágicas.

Em seu discurso, Trump também discutiu como a Internet tem fomentado a disseminação de crenças violentas e perigosas. "Devemos reconhecer que a internet fornece um caminho perigoso para a radicalização de mentes perturbadas", disse ele, em referência ao manifesto que o suspeito do tiroteiro em El Paso teria publicado em um fórum online.

O presidente dos EUA também usou a ocasião para delinear os próximos passos legislativos e prioridades para enfrentar de forma mais eficiente a crise de violência e tiroteios em todo o país. Trump prometeu agir com "determinação urgente" para combater os disparos em massa, que aumentaram nos últimos meses, e criticou a supremacia branca, bem como o terrorismo doméstico.

O republicano prometeu às vítimas das tragédias recentes maior apoio governamental e investigação do FBI (Departamento Federal de Investigação dos EUA) para punir os autores dos crimes. Ele pretende ainda melhorar o trabalho das agências norte-americanas e empresas de mídia social na detecção de sinais precoces de intolerância e violência. Para concluir, Trump pediu uma reforma das políticas de saúde e tratamento mental no país e expressou interesse em criar uma lei de pena de morte para os assassinos em massa.

Via: Polygon

Segurança videogames violência estados unidos donald trump
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você