Compartilhe com seus seguidores
A A A

Condomínios tecnológicos: dispositivos que garantem segurança e praticidade ao lar

Roseli Andrion 09/11/2019 19h00

O lar o local em que mais queremos nos sentir seguros. E as tentativas de fazê-lo confortável nesse aspecto são as mais variadas. Com a ajuda da tecnologia, isso tem ganhado novos contornos: do uso de biometria à implantação de portarias totalmente remotas em condomínios, passando pela adoção de aplicativos para as mais diversas atividades, a automação já é realidade em muitos imóveis.

Os números ainda são tímidos. Dos cerca de 400 mil condomínios existentes no brasil, perto de 3 mil têm automação dos processos que envolvem funcionários. Isso representa menos de 1% do total. Ou seja, ainda há muito espaço para expansão.

Que tal, por exemplo, parar de usar o interfone? Essa é a proposta da Noknox. Trata-se de um sistema em forma de aplicativo que permite fazer todas as funções inerentes ao condomínio diretamente no celular. Dá para controlar o acesso de visitantes, enviar comunicados, registrar ocorrências, conversar com unidades, administração e portaria por chat e gerenciar todo o fluxo de recebimento e distribuição de encomendas. Além disso, ajuda a tornar a gestão do condomínio mais profissional, pois adiciona controles mais precisos aos processos internos.

As propriedades que escolhem essa solução podem adotar a versão gratuita, que não tem as funcionalidades ligadas à gestão do empreendimento. Se preferirem contratar o serviço completo, pagam R$ 1,99 por unidade. Em um condomínio com 100 apartamentos, então, o custo total é de R$ 199.

Tanto a portaria quanto o síndico podem usar a versão web da ferramenta, mas o aplicativo também está disponível para eles – e essa mobilidade é bastante útil quando o profissional precisa sair do posto fixo de trabalho. A Noknox nasceu em abril de 2018 e atende, hoje, 250 condomínios, com um total de 50 mil apartamentos. A filosofia por trás da solução é a de que é importante ter um porteiro presente no imóvel, para que ele atue como cuidador do espaço e das pessoas.

Os moradores e o síndico que usam o sistema aprovam. Para eles, o destaque é a praticidade trazida pela solução em diferentes ocasiões. Enquanto os condôminos percebem que ficou mais fácil interagir com a equipe de administração sempre que necessário, os profissionais sentem que a comunicação ganhou agilidade.

E para tornar tudo ainda mais confortável, um complemento interessante é o elevador para pizza. Quando o morador pede uma entrega de refeição, não precisa mais descer para recebê-la. O alimento é colocado no elevador e enviado ao andar correspondente para que seja retirado pelo residente. Prático, né?!

Já para quem não faz questão de ter um porteiro presente no imóvel e se contenta com o atendimento de profissionais que atuam a partir de outra localidade, existe a portaria remota. Uma das companhias que oferece essa solução é a Peter Graber. A empresa tem, hoje, cerca de 70 porteiros que atendem os imóveis a distância. Já são 140 condomínios clientes que recebem monitoramento 24 horas por dia.

Além da segurança, outro grande apelo para o uso da tecnologia nos condomínios é o corte de custos. A automação promete tornar a conta bem menor para os imóveis. E ela deve vir em breve: os altos custos das taxas condominiais tem feito muitos repensarem os processos internos das propriedades – especialmente quando se percebe que cerca de 70% dos custos são com pessoal de portaria.

Em vez do custo médio de R$ 20 mil com pessoal, quem opta por instalar uma portaria remota, por exemplo, vai gastar entre R$ 6 mil e R$ 9 mil. O segredo? O compartilhamento de profissionais. Isso porque, em uma portaria convencional, é comum que o trabalhador passe bastante tempo ocioso. Na central de atendimento, por outro lado, os agentes atendem as propriedades conforme a demanda. As horas de trabalho são otimizadas ao serem divididas dessa forma.

Por isso, com a adoção dessa ferramenta, há uma melhoria nas finanças do imóvel. Há quem consiga até diminuir o custo da taxa condominial, zerar a inadimplência e passar a poupar dinheiro para fazer manutenção e benfeitorias no empreendimento.

Moradores de imóveis com portaria remota usam uma tag magnética ou a própria digital para entrar na propriedade. Com isso, todos os passos dados por eles no local são registrados, bem como os horários em que passou em cada lugar. Ou seja, é um controle muito mais sofisticado do que o existente em portarias comuns.

Embora não haja um porteiro presente no condomínio, falar com um profissional remoto é rápido e simples. A Peter Graber tem uma meta de tempo para fazer o primeiro atendimento a qualquer morador dos condomínios clientes que entre em contato com a equipe: em 10 segundos, esse residente deve ser atendido. Assim, quem estiver livre, faz a assistência.

O grande diferencial desse tipo de solução é o fato de evitar que um profissional fique vulnerável enquanto trabalha sozinho na portaria de um empreendimento. Na central da empresa, ele faz o mesmo trabalho, mas em um ambiente mais controlado. E, se houver emergências na propriedade, diferentes sensores instalados no local alertam os porteiros remotos – que estão prontos para agir.

No começo, é comum que alguns moradores fiquem um pouco desconfiados e desconfortáveis com essas soluções tecnológicas. Mesmo assim, apesar desse estranhamento inicial de alguns até a adaptação total com a ferramenta, a grande maioria dos usuários aprova a novidade depois que se acostuma com ela.

Muitos já reconhecem que esse é um processo irreversível, pois alia segurança, funcionalidade e custo mais justo de condomínio. Sem contar que valoriza o imóvel: as propriedades com elementos tecnológicos são cada vez mais atraentes.

Segurança automação Tecnologia Olhar Digital Plus casa conectada condomínios
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você